Publicado em 07 de agosto, 2019 as 15h20.

Tema de aula: o perigo do celular no trânsito

Por
Uso do celular
Flagra de condutor usando celular no trânsito. Foto: Arquivo Pessoal.

Muito se fala sobre o uso do celular por condutores de veículos. Ainda assim, o que se vê nas grandes, médias e pequenas cidades são condutores utilizando o celular sem se dar conta do risco que se expõe e aos demais integrantes do trânsito. Virou uma epidemia de enormes proporções!

É muito mais que infração: é irresponsabilidade! Aqueles poucos segundos, muitas vezes, são o suficiente para causar acidentes gravíssimos! É uma prática ilegal, perigosa e traz riscos a todos, até ao próprio condutor. Precisamos, mais do que nunca, conscientizar os condutores e futuros condutores que essa é, hoje, uma das maiores causas de acidentes, com vítimas fatais, no Brasil.

Temos que mostrar aos alunos dos Centros de Formação de Condutores (CFCs) que utilizar o celular ao volante, ainda que por poucos segundos, só “uma olhadinha” aumenta em 400% risco de acidente, pois tira o foco do trânsito. Contudo, de nada adianta falar, falar inúmeras vezes se, ao sair para as aulas práticas com os alunos, o próprio instrutor utilizar o celular enquanto seu aluno dirige. O instrutor de trânsito é responsável por aquele aluno e por tudo o que acontecer durante a sua aula. Portanto, se não estiver atento, acompanhando o que seu aluno está fazendo, não vai saber o que está acontecendo e tampouco, está cumprindo seu papel de educador. Além de estar dando um péssimo exemplo.

Existem dinâmicas que podem ser feitas em sala de aula para mostrar aos alunos que não é possível fazer atividades diversas, que exigem concentração e atenção e ao mesmo tempo digitar ao celular, por exemplo.

Sugestão simples e barata:
Material

– bexigas cheias, uma para cada aluno

– alunos com celulares em mãos

Atividade

O Instrutor pede que os alunos joguem suas bexigas para o alto e se desloquem pela sala, sem tocar uns nos outros. As bexigas devem ficar o tempo todo no alto, sem cair e sempre acima da cabeça. Os celulares sempre nas mãos.

Depois de algum tempo, peça que, sem deixar que as bexigas caiam ou deixar de jogá-las para o alto, precisam ler uma mensagem muito importante que chegou em seu celular. Devem continuar se movimentando sem bater nos demais. Em seguida oriente que respondam à mensagem.

Lógico que as bexigas cairão.

É importante fechar a dinâmica pedindo aos alunos que falem como foi a experiência.

Aproveite o que for dito por eles, não para dar “lição de moral”, mas sim para mostrar que não é possível manter a atenção em várias atividades ao mesmo tempo e executar os comandos necessários para que tudo seja feito de forma correta. Aqui, foi uma brincadeira, mas o trânsito é coisa séria! Quando a bexiga caiu, foi possível recolher do chão. No trânsito, na maioria das vezes não é tão simples assim, nem sempre temos a chance de remediar, recolher “as bexigas” do chão e continuar em frente.

Conduzir um veículo é uma atividade complexa que ocupa nosso cérebro: exige coordenação, atenção, concentração e diversas outras habilidades que são trabalhadas ao longo do processo de formação prática no CFC. Nossas mãos precisam estar o tempo todo no volante e na troca de marchas. Nossos pés se encarregam dos pedais para acioná-los quando necessário. Nossos olhos devem estar atentos ao trânsito.

Portanto, quando aquele “espertinho” do grupo que ficou chutando a bexiga para o alto enquanto digitava para poder provar o seu ponto de vista, ou aquele que tentou manter a bexiga no ar dando cabeçadas ou batendo com os cotovelos, devem ser lembrados de que isso não é possível de ser feito em um carro em movimento. Se quiser atender ao telefone, deve procurar um local seguro e permitido para parar o veículo e atender o telefone ou ler e digitar uma mensagem. Um minuto investido em segurança, pode significar a vida de cada um deles e a de muitas outras pessoas no trânsito. Lembre-os disso!

O que diz o Código de Trânsito Brasileiro (CTB):

Art. 252. Dirigir o veículo:

  VI – utilizando-se de fones nos ouvidos conectados a aparelhagem sonora ou de telefone celular;

        Infração – média;

        Penalidade – multa.

Parágrafo único. A hipótese prevista no inciso V caracterizar-se-á como infração gravíssima no caso de o condutor estar segurando ou manuseando telefone celular.

3 respostas para “Tema de aula: o perigo do celular no trânsito”

  1. GEISA ACÁCIA TAVARES disse:

    Excelente dinâmica.
    Onde posso ter mais exemplo de dinâmica?

  2. soeli |santos disse:

    excelente.
    Onde encontro mais dinâmicas como essa .

  3. janete de souza carpinski disse:

    muito bom, adorei, pode me enviar outras.
    obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *