Publicado em 15 de maio, 2019 as 15h23.

Parada e estacionamento: as placas da família R-6 não podem deixar dúvidas

Por
Quantas vezes as pessoas se confundem com as placas que permitem ou proíbem parada e estacionamento? É normal, afinal, sequer há uma sequência lógica no código de identificação destas placas. A sequência deveria ser do A para o C, de acordo com os extremos da permissão e da proibição, mas não. Os legisladores – ou seus auxiliares técnicos – distribuíram os códigos R6-a, b e c, segundo algum critério misterioso.

O que temos então são códigos que, deveriam mesmo ficar limitados ao uso de engenheiros e operadores das empresas de sinalização.

Como os DETRANs insistem em apresentar códigos das placas em suas provas, sobra para os instrutores de trânsito difícil tarefa de explicar aos candidatos à primeira habilitação seus códigos, estampas e significados.
Aqui apresentamos um vídeo que vai ajudar os estudiosos de trânsito a entenderem, de forma clara, quando é permito estacionar, quando é proibido estacionar mas é permitido paradas para embarque e desembarque, e quando nada disso é permitido.
Boas aulas!

4 respostas para “Parada e estacionamento: as placas da família R-6 não podem deixar dúvidas”

  1. Francisco Camilo de Souza disse:

    São milhares de condutores que não sabem essa diferença. Otimo esclarecimento.

  2. San disse:

    Muito bom o conteúdo Parabéns ! Já me inscrevi aqui para receber suas dicas 😉 Aproveita e visita o meu artigo com esse tema. Abraço até mais..

  3. geraldo garcia disse:

    As placas não recebem um “código misterioso”. A ordem é de acordo com sua incidência no trânsito, assim, a placa que mais incide recebe a indicação “a” e assim por diante. No caso específico, a R-6a tem mais utilização nas ruas que a R-6b e esta, por sua vez, mais que a R-6c

  4. Interessante essas informações!

Deixe uma resposta para Francisco Camilo de Souza Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *