Publicado em 22 de maio, 2019 as 14h34.

Instrutor: veja dicas para dar uma aula teórica mais atrativa

Por
Aula téorica
Foto: Arquivo pessoal – cedido para a Tecnodata.

Um bom instrutor sabe que para montar uma aula teórica com eficiência é preciso planejar. Nesse plano, é necessário determinar o que se espera que os alunos aprendam e o objetivo de cada atividade programada.

A busca pela qualidade no ensino começa pela escolha da metodologia. O instrutor deve pesquisar, previamente, diferentes formas para conduzir o processo de ensino-aprendizagem em sala de aula.

Como contribuição para o sucesso do instrutor, a Tecnodata e o Portal do Trânsito apresentam algumas dicas e orientações didáticas para o melhor desenvolvimento das aulas.

Espaço Físico

Uma sala de aula bem preparada fisicamente propicia um ambiente favorável para a aprendizagem. Isso vai desde a iluminação até a organização dos alunos. É importante que o ambiente esteja bem iluminado e arejado. Em locais com pouca luz, a tendência é o aluno sentir-se desanimado.

Outro ponto importante a ser levado em consideração é o número de alunos na sala, que deve ser condizente com o tamanho do ambiente, para que todos se acomodem confortavelmente. Uma dica é organizar as carteiras da sala em semicírculo, para que todos se vejam, esta estratégia torna a sala de aula mais informal e descontraída.

Antes da aula – ambientação

Antes de cada aula, o instrutor poderá escrever uma pergunta provocativa no qua­dro, de modo a ambientar e despertar o interesse mesmo antes da atividade.

O instrutor familiarizado com o ensino de adultos raramente responderá alguma pergunta de forma direta. Ele a devolverá à turma, perguntando “quem pode iniciar uma resposta?”, ou então “quem gostaria de ajudar?”. Perguntar “quem sabe a resposta?” é intimidante e não deverá ser utilizado.

Jamais dizer que a resposta de um adulto está errada: em cada resposta sempre há uma ponta de verdade a ser trabalhada. O instrutor poderá se desculpar pela pergunta pouco clara e refazê-la de modo a aproveitar a parte correta da resposta dada. Fará então, novas perguntas a outros alunos, de modo a correlacionar as respostas até obter a informação completa.

Durante a aula – uso de recursos

A utilização de materiais didáticos enriquece a aula e facilita o aprendizado do alu­no. A Tecnodata, por exemplo, fornece uma ampla variedade de recursos didáticos, cujo melhor aproveitamento depende dos equipamentos disponíveis no CFC e da estrutura para oferecer uma aula moderna e interessante aos seus alunos.

Para conseguir que todos os alunos estejam envolvidos, o instrutor precisa esclarecer quais os objetivos gerais e específicos e justificar a importância do estudo dos assuntos teóricos durante o curso.

O ideal é seguir a aula a partir da sequência de temas da apostila. As apostilas devem ser utilizadas, preferencialmente, como meios de consulta e orientação, evitando-se a leitura de trechos longos em sala de aula, pois isso pode causar tédio e desmotivação. É possível usar o multimídia para orientar as explicações.

Durante as aulas, o instrutor deve fazer perguntas e analisar a compreensão dos alunos, verifi­cando se os objetivos do curso estão sendo alcançados por todos.

Os vídeos devem ser usados em partes, dividindo a exibição conforme o número de aulas para cada disciplina.

O ideal é passar trechos correspondentes ao tema ou conteúdo que será estudado, intercalando, em pausas estratégicas, comentários de caráter complementar e contextualizador, que todo bom instrutor sabe fazer.

O instrutor pode, também, incentivar os alunos a emitirem suas próprias opiniões. Esse é um exercício de abstração muito útil para a aprendizagem de assuntos que até então eram conhecidos apenas pelo ponto de vista de quem participava do trânsito como passageiros, pedestres, ciclistas ou simples observadores.

Final da aula – testes

No final da aula, a dica é tirar as dúvidas que ainda persistirem e aplicar um teste ou atividade para avaliar se os objetivos foram alcançados.

Dependendo do resultado da avaliação, o instrutor precisa retomar os pontos que tenham sido mal compreendidos, procurando alcançar os objetivos propostos por completo, de forma que todos os alunos fiquem dentro de uma média satisfatória.

Saiba mais

Sem monotonia: saiba como dar um show de aula teórica  

Como fazer um plano de aula? Veja dicas para o instrutor

Instrutor: conheça três dinâmicas para você aplicar em sala de aula

 

3 respostas para “Instrutor: veja dicas para dar uma aula teórica mais atrativa”

  1. Só enstrutor e a cada dia tenho precurado melhorar mais.quero as dicas

  2. Sergio N Watanabe disse:

    Excelente matéria. Muitos alunos acabam passando para seus amigos o quanto é chato o curso do CFC e temos que ter sim métodos didáticos para reverter essa fama. O instrutor teórico precisa estar muito bem informado pois surgem dúvidas de seus alunos e mutas vezes o instrutor não sabe ou responde de forma errada causando incredibilidade podendo até mesmo esse aluno colocar a culpa de uma possível reprovação a entidade de ensino e seu instrutor o que vejo razoável nesta condição. Além das informações técnicas o instrutor deve passar aos alunos a importância da ética, da cidadania e do bom senso trazendo conscientização mudando comportamentos e atitudes ruins mas comum na vida de alguns alunos. O instrutor faz a diferença.

  3. Como vai ficar o papel I
    nstruntor de legislação no CFC?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *