Publicado em 27 de março, 2019 as 16h10.

10 dicas de como ser um bom instrutor de autoescola

Por
Dicas para o instrutor
Foto: Freeimages.com

Ensinar é um dom, muitas vezes não muito valorizado. Ser educador é um desafio e formar cidadãos conscientes não é tarefa fácil. Mesmo assim, muitos profissionais se dedicam a instruir, e principalmente, a preparar as pessoas para progredirem e vencerem seus medos.

O instrutor de trânsito é um desses profissionais, que tem uma missão um pouco mais difícil, que é tentar nivelar o ensino em turmas bastante heterogêneas e lidar com alunos que têm objetivos diferentes uns dos outros.

Para ajudar a enfrentar os desafios da sala de aula, a Tecnodata e o Portal do Trânsito trazem algumas dicas para o instrutor.

  1. Definir claramente suas metas

Planejar a aula é muito importante, assim como estudar o assunto que será ministrado. Um bom professor deve ter em mente quais são os principais objetivos que os estudantes devem atingir e proporcionar ferramentas para que consigam chegar ao alvo.

  1. Ter empatia e calma

Apesar de às vezes não demonstrarem, muitos dos alunos que estão tentando tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), estão inseguros com essa condição. O instrutor pode ajudar se colocando no lugar do aluno e tentando entender suas dificuldades. Dessa forma conseguirá auxiliar o candidato a superar os obstáculos.

  1. Estar preparado para imprevistos

Apesar de planejar a aula, as coisas nem sempre acontecem como o previsto, por isso, o instrutor deve ter sempre um plano B para os problemas que surgirem: uma aula pronta e preparada a mais, uma alternativa para o caso da internet falhar ou não funcionar, enfim, imprevistos acontecem.

  1. Se entregar à profissão com entusiasmo

É importante que o educador consiga transmitir e contagiar os alunos sem se importar com o número de estudantes em sala, nem das diferenças cognitivas, culturais, sociais e econômicas que existam entre eles. Além disso, o bom professor é capaz de motivar os seus alunos e contagiá-los na vontade de aprender.

5.  Oferecer apoio emocional aos estudantes

Em alguns casos, o aluno necessitará mais de conselhos do que da transmissão de informações. Sendo assim, o instrutor deve estar pronto para apoiá-lo e orientá-lo.

 

  1. Levar bom humor para as aulas

Apesar de ser um assunto muito importante, as aulas nos Centros de Formação de Condutores (CFCs) não devem ser sempre sérias. Quando a aula é divertida e engraçada, os estudantes enxergam o lado mais humano do instrutor, aumentando o respeito e a confiança.

  1. Não parar de aprender

Seja por amor à profissão seja por exigência, o instrutor de trânsito precisa se manter atualizado. Seus alunos merecem isso e, por outro lado, o trânsito precisa disso. Os bons profissionais da área, não se conformam em apenas conhecer aquele mínimo necessário, só para ajudar o aluno a passar na prova. Eles querem realmente contribuir para a boa formação dos condutores.

  1. Estar atento às novas tecnologias

Em um mundo onde vivemos cada vez mais conectados e cercados pela tecnologia, é importante que o instrutor as utilize durante suas aulas. Aproveite toda a vontade e disposição dos alunos em utilizar as mídias, sem lutar contra elas, para fazer com que o aprendizado no CFC seja mais significativo e relevante. Independente da vontade dos educadores/instrutores, os jovens estão construindo seus hábitos de consumo de informação moldados pelas mídias digitais e redes sociais, portanto, utilizar essas ferramentas como aliadas, usá-las a favor da formação desses jovens trará benefícios a todos.

  1. Dar o exemplo

É importante que os alunos vejam o instrutor como um bom exemplo. De nada adianta dar uma aula excepcional sobre uso do cinto de segurança, uso do capacete, travessia em faixa, não utilizar o celular enquanto dirige e ser flagrado por um dos alunos cometendo essas infrações. Com certeza encontrarão uma forma de cobrar isso. A partir do momento em que se assume a tarefa de educar, o professor fica em uma vitrine, portanto, seguir aquilo que se transmite aos alunos é essencial.

  1. Ser honesto

O instrutor deve ser sempre sincero com os alunos. Uma relação honesta gera confiança e credibilidade. Mesmo sendo educador, você não é obrigado a saber tudo. Não reconhecer isso e tentar “enrolar” as pessoas é cometer um grande erro. Hoje é muito fácil para estes alunos saírem da aula, ou mesmo dentro de sala, pesquisar na internet e confrontar o professor. E isso pode ser usado como benefício: não sei, não lembro, vou pesquisar ou ainda, vamos pesquisar agora…Essa pode ser a grande chance de, não só repassar conteúdos, mas fazer com que saibam onde buscar mais conhecimento.

17 respostas para “10 dicas de como ser um bom instrutor de autoescola”

  1. Celso Mariano disse:

    Acompanhe todas publicações da área PARA O SEU CFC!

  2. Marco De Martino disse:

    Permita-me uma observação: Se estiver equivocado me corrijam por favor…
    O ítem (6), vocês dizem para que a aula seja “engraçada”… perdoe-me, mas assuntos tão sérios e de suma importancia devem ser tratado com o mesmo teor….depois querermos cobrar seriedade no cumprimento das regras….

    • Mariana Czerwonka disse:

      Marco

      Você tem razão. O assunto é extremamente sério e importante, conforme citamos na matéria. Mas em alguns momentos a leveza e o bom humor podem atrair aquele aluno disperso e que precise desse tipo de motivação. Não é a todo momento, é uma estratégia que o instrutor pode utilizar na hora e da maneira certa, sempre utilizando o bom senso.

      Agradeço pela participação!

      Equipe Portal

    • Ricardo Araujo disse:

      Bom dia, acho que, o fato do item 06, o colega está está equivocado, pois, a aula não necessita ser séria o tempo todo, a aula sendo dinâmica e descontraída pode se tornar uma aula bem mais produtiva e divertida sim, assim faz com que o aluno se prenda mais aos detalhes dos assuntos tratados.

    • Junior disse:

      Uma aula engraçada com menos conteúdo se aprende mais que em uma aula séria com muito conteúdo.

  3. Vera lucia disse:

    Muito bom..otimas dicas

  4. Edmilson disse:

    Infelizmente os CFCs pedem o contrário achei que nunca ouviria isso mas meu antigo chefe pediu para diminuir a qualidade da aula pois a auto escola passava por dificuldades e deveria incentivar os alunos a pagarem o quebra o que me diz disso

    • Regiane Oliveira disse:

      Caro colega Edmilson ,eu também já passei pelo mesmo.Estive por um ano em um cfc o qual dei meu melhor porém o patrão sempre insatisfeito..resumo não gostava do alto índice de aprovação.Mais são casos a parte vamos fazer nossa parte e Deus no controle

    • Douglas Guerra disse:

      Lamentável! Um CFC que passa por problemas precisa investir em melhorar ainda mais seus índices e a satisfação do alunos. Nada pode ser mais atrativo a novos candidatos do que uma propaganda positiva de alguém que saiu satisfeito com o serviço prestado por instrutores, diretores e secretárias

  5. Vilmar becker disse:

    Muito boa a matéria, porém com as desvalorizações deste profissional e a obrigação de estar preso com vinculação empregatícia a uma CFC sem ter a opção de autonomamente prestar um serviço pelo qual seja valorizado todas as dicas possíveis serão poucas, pois um bom profissional mal pago não enxerga as obrigações legais como algo a ser valorizado, como o simulador, as aulas noturnas ou até mesmo a aula de mecânica atual ou atrasada, não acredito em melhorias enquanto os DETRANs entenderem que para educar melhor é preciso prender o profissional a essa desvalorização desmedida pela qual muitos de nós instrutores vivemos no nosso cotidiano. OBS: “Com as tais regras nenhum instrutor vai pensar na melhoria do transito, mas sim nos temidos e muitas vezes corruptos exames do DETRAN.

  6. WAGNER EUGENIO RIPPE disse:

    Venham assistir minhas AULAS E VERÃO A diferença de instrutor que conhece o que ensina e agregar sua experiência de volante junto., as aulas devem ser divertidas em alguns momentos ok nao toda aula ok pois ficar 9 dias seguidos dentro de uma sala de aula com varios tipos de pessoas falando só de transito os Alunos perdem o interesse., por esta razao minhas Aulas sáo bem facil de absolver o conteudo pois não fico Lendo livro e Video sao bem dinamicas
    Abraços Instrutor
    Wagner RippeTéorico

  7. Luis Alberto da Costa Guerra disse:

    Entusiasmo! Sempre! Parabéns pelas dicas.

  8. José Maria Meirelles disse:

    Os CFCs não, o seu cfc e vc deveria denunciar, pois se não és conivente.

  9. Sheila Nascimento disse:

    Sou instrutora teórica a 4 anos no mesmo CFC, minhas aulas são ministradas de forma que toda turma se envolva e participe bastante da aula. Meu índice de aprovação é excelente, minhas aulas são muito dinâmicas e sou muito indicada por meus alunos. Seja um instrutor…um orientador…mas também seja amigo e verdadeiro, e você fará grandes amigos e grandes condutores?

  10. Branca Kovalski disse:

    Eu tenho uma aula bem dinâmica também.
    Faço grupos sempre que possível, converso bastante com os alunos, faço perguntas pertinentes a matéria, uso vídeos curtos apenas para exemplificar o conteúdo no momento.
    Evito conversas paralelas, e assuntos polêmicos em sala de aula.
    Não fico muito tempo na mesma questão, ando bastante pela sala, para os alunos me acompanharem, pois como já são adultos, perdem o interesse facilmente se o conteúdo não agrada, é como se eles mudassem de canal com o controle remoto, podem estar ali fisicamente, mas o pensamento pode ir longe, por isso a aula não pode ser massante.
    Sempre aviso no primeiro dia de aula, que nove dias ali não é fácil, e que as vezes vamos dar umas risadas, mas isso não significa que não vamos levar o assunto a sério, e o Instrutor tem que sentir a turma, uma é diferente da outra, e sem contar que não fazemos a aula sozinho, precisamos da participação dos alunos, interagindo na aula para que ela não se torne massante.
    Sei que esto fazendo a coisa certa quando ouço dos alunos: “Todo mundo diz que fazer CFC é chato, também pensei que fosse, mas confesso que vou sentir saudades das suas aulas, aprendi bastante, fiz amizades, foi muito bom!”…… E depois chega no último dia, ou o dia que o aluno vem fazer simulador comigo, chega presentinho….caixa de bombom, produtos do boticário etc….
    E os alunos indicam a outros conhecidos e até mesmo parente, que esteja se habilitando, que façam o CFC comigo.
    Isso é gratificante, saber que cumpri com êxito meu papel como Educador para um trânsito melhor, na verdade nossa função é compartilhar e multiplicar para que tenhamos um trânsito mais humanizado, e não apenas para o aluno “passar na prova”.

    Abraços.
    Branca Kovalski
    Instrutora Técnica Teórica
    Campinas/SP

  11. Antonio Raimundo Souza Lima disse:

    Quais são as 10 dicas para as Auto Escola ser exemplo com os Instrutores..? Porque existe muitas cobranças, perfeição, especialização, mas as Auto Escola não contribuem nem com curso motivacionais, nem cursos preparatórios e os salários não permitem que os instrutores façam cursos de aperfeiçoamento… Então gostaria de saber quais são as 10 dicas….
    Na verdade as Auto Escolas não tem interesse de ter um bom profissional, apenas lucros funcionários pra eles é apenas um detalhe… é lamentável mas é a realidade…

    • Cesar Roberto Góes disse:

      Muito bem colocadas suas observações Antonio, trabalhei por alguns anos coma Capacitação e Formação de Instrutores e por vezes traziam relatos que impressionavam, e nos deixavam atônitos e a convivência e a experiência com o passar dos anos as comprovaram, gostaria também de ver quais serial as dez (10) sugestões para as Auto Escolas e Cfcs, vamos aguardar e ver se um dia no dão estas respostas. Quem sabe o momento atual possa ser um instrumento de pensamento, reflexão e iniciar-se um processo de mudança, vamos aguardar.
      Saudações
      Cesar Góes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *