Publicado em 26 de abril, 2019 as 08h08.

Planejamentos, desafios e futuro: mobilidade urbana em Salvador

Por Agência de Conteúdo.

Salvador
Foto: Domínio Público

Uma das cidades mais movimentadas do Brasil, Salvador tem seu peso histórico extremamente relevante na história nacional. Primeira capital do país, ela foi fundada em 1549. Assim como outras grandes metrópoles brasileiras, Salvador cresceu de maneira desordenada e não foi projetada para ser um lugar com aproximadamente três milhões de habitantes.

Muito por conta do crescimento acelerado da população, Salvador enfrenta desafios complicados no que tange a mobilidade urbana e os últimos anos foram importantes na tentativa de recolocar a cidade com um bom fluxo de trânsito.

“Salvador é uma cidade de ruas estreitas centenárias, muito engarrafada, onde se vê os automóveis subindo nos passeios públicos”, constata Juan Pedro Moreno Delgado, professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Escola Politécnica da UFBA.

O desafio não é nada fácil. Em 2016, um estudo da empresa de GPS TomTom ranqueou as cidades mais engarrafadas do planeta e Salvador ficou com a sétima colocação — atrás apenas do Rio de Janeiro entre as cidades brasileiras.

A realidade, porém, parece caminhar na direção certa. Nos últimos anos, Salvador inaugurou duas linhas de metrô, assim como a integração dos ônibus e algumas outras obras relevantes para desafogar um pouco do trânsito. Em abril deste ano, Salvador foi sede de um evento realizado pelo Detran para discutir a implementação de novas tecnologias na mobilidade urbana.

No ano passado, foi muito discutido o PlanMob Salvador, que tem como principal objetivo recolocar a mobilidade urbana da capital baiana nos trilhos em um planejamento a longo prazo. O plano almeja aumentar a qualidade de movimentação dos pedestres e ciclistas, assim como a maior eficiência de todos os meios de transportes da cidade.

Para Fábio Mota, secretário de Mobilidade de Salvador, o PlanMob tem validade até 2049, ano em que a cidade completará 500 anos. “São propostas que atendem o critério de acessibilidade e ao crescimento populacional que teremos nos próximos anos”, diz o secretário.

Salvador
Foto: Domínio Público.

Neste ano, Salvador anunciou o início das obras do VLT, que devem ocorrer no segundo semestre do ano e ligar Comércio a Ilha de São João. O Sistema de Veículo Leve sobre Trilhos terá 20 km de extensão com expectativa de transportar aproximadamente 150 mil pessoas por dia.

As obras, que vão custar cerca de R$ 1,5 bilhão, prometem desafogar um pouco do engarrafamento soteropolitano. O outro objetivo do VLT é substituir o sistema de trem e promete realizar o transporte com maior rapidez e comodidade. A previsão é que as intervenções sejam concluídas em 24 meses após serem iniciadas”, afirmou o diretor técnico do consórcio, Alexandre Barbosa.

O BRT é outro projeto da prefeitura de Salvador que visa melhorar o transporte. Até 2025, por exemplo, a expectativa é que sete linhas sejam implementadas. “Por ser um modal mais versátil, mais barato e de operação mais fácil do que qualquer sistema sobre trilhos, vamos poder expandir o BRT rapidamente para todas as regiões da cidade após a implantação da primeira linha”, disse o secretário Fábio Mota.

Outra expectativa para o futuro próximo é que o metrô seja eventualmente expandido para locomover ainda mais passageiros. Segundo Leonardo Balbino, coordenador de atendimento da CRR Metrô Bahia, companhia administra as linhas, a média atual é de 370 mil passageiros por dia. “Temos esquemas de funcionamento especial para os dias de festas, para todos os shows e jogos, inclusive para o Carnaval”, conclui.

O fato é que Salvador cresce em termos de importância no cenário nacional. Além de tradicionais festas como Carnaval e Festa de Santa Barbara, a capital baiana recebe grandes eventos de diferentes áreas. No primeiro semestre de 2019, por exemplo, Salvador será casa de importantes eventos esportivos. Um deles é o Campeonato Brasileiro de Poker, que no fim de abril abrigará a terceira etapa do circuito. Localizado no Wish Hotel da Bahia, o evento promete receber milhares de competidores. Outro de destaque é a Meia Maratona Farol a Farol – Etapa 1, que será realizada no dia 26 de maio.

Tornar a mobilidade urbana de Salvador um exemplo para o resto do país é uma realidade bem distante, no entanto, nos últimos anos a cidade tomou providências rumo a uma melhor qualidade de trânsito. Os problemas estão longe de serem sanados, visto que até 2016 a cidade era uma das piores do mundo em engarrafamento. Provavelmente serão necessários muitos anos de trabalho até chegar a um nível geral de satisfação da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *