Publicado em 09 de maio, 2019 as 08h10.

Trânsito mata mais que crimes violentos em nove estados brasileiros

Por Mariana Czerwonka.

Mortes no trânsito
Os nove estados somaram mais de 17 mil pagamentos do Seguro DPVAT destinados à cobertura por morte. Foto: Arquivo Tecnodata.

Um levantamento feito pela Seguradora Líder, que administra o DPVAT no Brasil, mostra um quadro comparativo entre mortes causadas por acidentes de trânsito e outras causadas pelos demais crimes violentos.

Em nove estados brasileiros, o trânsito provocou, em 2018, mais mortes do que crimes como homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

A unidade federativa que lidera esse ranking é São Paulo, que registrou 5.462 sinistros por acidentes fatais no trânsito contra 3.464 óbitos por crimes violentos. Em seguida estão: Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, Piauí, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia que também registraram mais mortes por acidentes de trânsito do que por outros crimes violentos.

Os nove estados somaram mais de 17 mil pagamentos do Seguro Dpvat destinados à cobertura por morte, representando 46% do total de sinistros pagos por acidentes fatais em todo o país no ano passado. Já os crimes violentos somaram 12.559 óbitos no mesmo período.

Tabela_mortes_DPVAT_II

Para Celso Mariano, especialista e trânsito e diretor do Portal, o país que quer humanizar o trânsito não tem opção: é preciso uma eficiência que compense o número de usuários, dirigindo seus próprios veículos ou não, à pé, de bicicleta ou de transporte público e ainda assim, é imperioso implementar uma cultura de segurança na mobilidade.

“Os espanhóis conseguiram. O Japão tem demonstrado que sempre dá para diminuir um pouco mais os acidentes. Só para citar dois exemplos contemporâneos. Enquanto não definimos em quem queremos nos inspirar, vamos deixando escapar soluções tecnicamente competentes. Vários países europeus já estão na “pós-graduação”, em busca do Zero Acidente, e nós ainda pipocamos em matemática e estatística básicas, sem conseguirmos dados suficientes e confiáveis para entendermos o tamanho da violência do nosso trânsito”, explica Mariano.

Dados DPVAT

Somente em 2018, mais de 320 mil indenizações foram pagas nos três tipos de cobertura: Morte, Invalidez Permanente e reembolso de Despesas de Assistência Médica e Suplementares (DAMS). Do total de indenizações pagas no ano passado, 70% foram para acidentes de trânsito com vítimas que adquiriam algum tipo de invalidez permanente. Foram mais de 228 mil ocorrências nessa cobertura. Representando apenas 27% da frota nacional, as motocicletas foram responsáveis por cerca de 75% das indenizações pagas em 2018, acumulando mais de 246 mil pagamentos.

Saiba mais:
Veja os dados DPVAT 2018 – números, perfil das vítimas e dos acidentes

3 respostas para “Trânsito mata mais que crimes violentos em nove estados brasileiros”

  1. Anderson Passarelo Pinho disse:

    Bom dia, infelizmente é muito triste nos dias de hoje um Pais ter esses números de baixas no Trânsito, ou seja, o cidadão está literalmente perdendo a sua vida no mais natural direto que existe, “O De Ir e Vir”. E isso continuará assim até que Sociedade e todas as esferas Administrativas do Pais não buscarem o Respeito Multou e a Educação no Trânsito de forma abrangente, fazer cumprir realmente a redação do Art. 76 do CTB e todas as Resoluções e Portarias que ja existem a muito tempo sobre o assunto, não for por esse caminho, infelizmente esses números continuarão almentando ano a ano.

  2. Julio Neto disse:

    Não podemos esquecer que os dados do DPVAT não é um dado exato, eles apontam apenas os pedidos de indenização, então o numero de mortes no transito é bem superior a isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *