Publicado em 10 de abril, 2016 as 08h48.

Pesquisa gaúcha com drogômetro deve balizar legislação nacional

Por Mariana Czerwonka.

Drogômetro
Pesquisadores anunciaram início dos testes em coletiva de imprensa – Foto: Mariana Tochetto_DetranRS

O Centro Colaborador em Álcool e Drogas do Hospital de Clínicas de Porto Alegre anunciou em coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (30) o início dos testes com o drogômetro nas operações de fiscalização do Rio Grande do Sul.  O projeto-piloto da pesquisa de campo, que será realizado com o apoio do Detran/RS e da Polícia Rodoviária Federal, está previsto para começar no mês de abril e os resultados devem ser anunciados em outubro no Congresso Internacional de Álcool e Drogas.

Os testes com drogômetro fazem parte de uma ampla pesquisa do Cepad com a Secretaria Nacional de Política de Drogas que se iniciou no ano passado, com análise da literatura, estudo da legislação de outros países e  identificação dos aparelhos existentes no mercado, além de testes prévios com voluntários. A etapa de aplicação no ambiente de fiscalização será realizada nas operações da Balada Segura e blitze regulares da Polícia Rodoviária Federal com os cinco aparelhos selecionados. No projeto-piloto, serão realizados 250 testes em motoristas. Também serão entrevistados 50 agentes de fiscalização com relação ao manuseio dos equipamentos e aplicabilidade dos testes no ambiente de blitz.

O diretor-geral do Detran/RS, Ildo Mário Szinvelski, informa que após a finalização das pesquisas, caso os resultados sejam positivos, o processo de regulamentação deverá ser rápido. Szinvelski ressaltou que o assunto já é debate na Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, da Câmara Federal, e seus membros estão comprometidos com a agilização do processo e regulamentação no menor prazo possível.  “Tão logo seja homologado, o Detran/RS utilizará o equipamento em todas as suas ações de fiscalização. Com a intensificação do uso do etilômetro nos últimos anos, conseguimos um resultado positivo na redução de acidentes no Estado. Não tenho dúvidas que os resultados serão ainda melhores com o uso do drogômetro”.

Na prática

Aqueles condutores que de qualquer forma não poderiam sair conduzindo o veículo (flagrados sob o efeito de álcool ou autuados por recusa) serão convidados a fazer a pesquisa. Com o consentimento do motorista, os pesquisadores farão um questionário e coletarão uma pequena quantidade de saliva (cerca de1ml). A saliva será testada nos aparelhos disponíveis e terá o resultado confirmado em análise laboratorial posterior. O motorista que participar dos testes não será penalizado por um eventual resultado positivo e terá sua identidade preservada.

O drogômetro

Utilizado em diversos países do mundo, como Austrália, Reino Unido, Estados Unidos e Noruega, o drogômetro consegue detectar várias classes de substâncias psicoativas. Os aparelhos que serão testados no Rio Grande do Sul detectam cocaínicos, canabinóides (maconha e derivados), metanfetaminas (incluindo  os chamados “rebites”) opióides e benzodiazepínicos.

Com informações da Assessoria de Comunicação do Detran/RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *