Publicado em 26 de fevereiro, 2019 as 15h08.

Quais são os desafios da formação de condutores no Brasil? Mande a sua opinião

Por Portal do Trânsito.

“Talvez estejamos próximos a mudanças importantes na atividade de formação de condutores no Brasil. O que nos leva a pensar assim?”

Em primeiro lugar, porque as estatísticas nos mostram que o número de PPD’s vem caindo consistentemente nos últimos anos (veja gráfico abaixo).

fonte: DENATRAN
fonte: DENATRAN

 

Nós já havíamos sentido isso e muitos dos proprietários de CFC se queixam de que o número de matrículas caiu muito, em comparação a anos anteriores. No entanto, o número de veículos fabricados cresceu no mesmo período. Existem explicações para isso?

Hoje vivemos uma mudança de mentalidade no governo federal, que certamente influenciará todas as esferas públicas. Várias declarações provenientes do alto escalão do governo federal, e do próprio presidente Bolsonaro indicam mudanças nessa atividade, como por exemplo, a possibilidade de cair a obrigatoriedade do uso de simuladores, alterações nos preços a serem cobrados na formação de condutores, mudança no limite de pontos no prontuário para a suspensão da CNH, e outras que certamente virão por aí.

Mas há dois fenômenos que precisamos discutir mais a fundo, e que podem estar afetando muito a atividade dos CFCs em geral, e também a segurança no trânsito.

O primeiro, que já comentamos aqui, mas ainda será o foco de outras reportagens, é que está havendo um claro desinteresse dos jovens pela obtenção da CNH. Até há pouco tempo, a CNH era uma conquista altamente desejável para o jovem, porque tinha muitos significados, como liberdade e autonomia para estudar, trabalhar, divertir-se; hoje isso mudou, talvez fortemente influenciados pela facilidade de uso do transporte por aplicativos, o jovem hoje sente-se mais livre se não tiver que dirigir, e isso é coisa muito recente.

Esta é uma mudança muito importante no conceito de mobilidade, e ela não está vindo sozinha. As pessoas estão buscando novos meios de se locomover. Observa-se um muitos países, e recentemente também no Brasil, uma verdadeira invasão das bicicletas de aluguel, de patinetes elétricos, de compartilhamento de transporte por aplicativo. Certamente o transporte coletivo terá que se modernizar para adequar-se a estes novos tempos.

O segundo fator, e este nos parece muito mais grave, é que muitas pessoas estão dirigindo sem estar devidamente habilitadas, com habilitação suspensa ou até mesmo com a CNH cassada. Imaginamos que estes processos sejam caros para algumas pessoas, isso é uma possibilidade; mas a falta de fiscalização encoraja as pessoas a ficarem em situação irregular. Afinal, é possível dirigir por muitos meses e até anos, sem que sejamos abordados por qualquer agente da autoridade de trânsito.

Nós, do Portal do Trânsito, achamos que está na hora de aprofundar este debate. Se estas forem realmente as tendências, como estará este cenário dentro de alguns anos? A verdade é que o cenário está mudando, e mudança vem se acelerando ultimamente. Como reagiremos a isso? Podemos negar que isso esteja acontecendo. Podemos também encarar isso como uma ameaça. E também haverá aqueles que perceberão que mudanças são inevitáveis e que podem sim representar oportunidades, para os mais preparados.

Fazemos parte do grupo que acha que as mudanças são inevitáveis, muitas delas já estão acontecendo e que outras certamente virão. Pensamos também que uma das características mais marcantes de nós, humanos, é a adaptabilidade, fundamental para a sobrevivência. E mais, não queremos ser apenas vítimas ou críticos das mudanças, mas verdadeiros protagonistas, por que não?

Pensando nisso, estamos criando uma sessão no Portal destinada a pensar e analisar o futuro da formação de condutores no Brasil. Oportunamente receberemos convidados que possam nos auxiliar neste debate. Certamente haverá muitas polêmicas e até críticas, que também serão bem vindas, porque acreditamos que é exatamente este o processo que leva ao amadurecimento e ao surgimento de novas ideias.

Regras para participar

Você quer participar desse debate do Portal do Trânsito? É fácil!

Envie um vídeo ou um texto com a sua opinião sobre:

“Como você vê os desafios do futuro da formação de condutores no Brasil?”. Celso Mariano e a equipe do Portal do Trânsito analisarão a sua ideia em vídeos semanais sobre o assunto.

Instruções:
O vídeo deve ter no máximo 15 segundos ou, se preferir, um texto com no máximo 500 caracteres.

 

Uma resposta para “Quais são os desafios da formação de condutores no Brasil? Mande a sua opinião”

  1. Cesar Diego Vidal dos santos disse:

    Boa tarde!! Na minha opinião sobre o curso teórico em EAD penso que se for implantando não ajudará muito a respeito desse nosso meio chamado trânsito que é um ambiente social ou deveria ser, mesmo em já com os cursos teórico usando todo material didático dinâmica e utilizando métodos de socializar os alunos entre si para o trânsito, em sala de aula, mesmo assim ainda existem pessoas que não se socializam, e se tornam pessoas individualistas no trânsito aonde são chamados de elementos de perigo constantes no trânsito, mas mesmo assim acredito que o curso teórico presencial para a primeira habitação faz a grande diferença nas autoescolas nesse questão de socializar os primeiros habitados no trânsito, aonde é um lugar de todos ,pois acredito que se for implantando o curso teórico em EAD afetará mais ainda no quesito de socializar o cidadão, primeiro habilitado no trânsito, pois incentiva mais ainda o interesse do cidadão fazer o curso só para passar na prova teórica sem o interesse de aprender realmente e se socializar com as demais pessoas no trânsito, dirigir um veículo ou pilotar uma moto ,não é um dom que Você já nasce sabendo, pois é preciso busca esse conhecimento na teoria e na prática, aonde as autoescolas são essenciais para esse tipo de treinamento teórico presencial e prática na direção, não devemos mexer nessa essência que é o curso teórico presencial que muito tem feito a diferença no trânsito, o governo não deveria se preocupar em desburocratizar essas questão das autoescolas, e sim ser mais brandas nas fiscalizações de ensino dado nas salas de aulas de cada autoescola, não devemos buscar ideias das culturas de outros países e sim devemos viver a realidade de nossa cultura e trabalhar em cima dela, e essa cultura que estou falando é o do nosso meio social chamado trânsito, tenho o costume de dizer que no trânsito todos sabem dirigir, mais nem todos dirigem da maneira correta, que é respeitar o próximo ser gentil obedecer às leis e praticar a direção defensiva, e acredito que o curso teórico em EAD, só aumentará esse índice de que todos sabem dirigir, mais nem todos dirigirá da maneira correta, e fora sem falar o tanto de profissionais exemplares do curso teórico presencial, que seriam afetados em suas profissões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *