Publicado em 08 de julho, 2019 as 08h14.

Oportunidade ou ameaça: app de instrutores oferece treinamento para habilitados

Depois de muitos instrutores sugerirem, o Portal do Trânsito decidiu ir atrás de informações sobre o aplicativo que está sendo chamado de Uber dos instrutores. O que é? Como funciona? Será o fim da profissão? Veja na reportagem

Por Mariana Czerwonka.

Uber dos instrutores
A grande dúvida é se o aplicativo veio para acabar com o emprego dos instrutores. Foto: Pixabay.com

Um aplicativo, no estilo Uber (só que com instrutores cadastrados), que se propõe a ensinar condutores habilitados a dirigir com segurança e habilidade: é isso que o 77 Drive está apostando com sua plataforma, lançada há pouco tempo no mercado.

Muitos instrutores estão se perguntando se essa é uma ameaça ou uma oportunidade de trabalho, afinal qualquer instrutor pode se cadastrar, assim como qualquer pessoa pode se cadastrar como motorista do Uber.

É preciso deixar claro que esse treinamento só poderá ser realizado por pessoas já habilitadas. A legislação brasileira não permite que candidatos em processo de primeira habilitação aprendam a dirigir fora de um Centro de Formação de Condutores (CFCs).

O aplicativo começou em São Paulo, depois se expandirá para o Sudeste e para o restante do País.

Em entrevista à Marcia Pontes, no canal Superação do Medo de Dirigir, Francisco Soares, um dos idealizadores do projeto, defendeu que o aplicativo veio para modernizar a forma como se contrata aulas de direção. “Em contrapartida queremos melhorar a forma com se ensina e como se aprende a dirigir. Queremos padronizar o comportamento dos condutores”, afirmou Soares na entrevista à Márcia Pontes.

Como foi dito anteriormente, o aplicativo é destinado a pessoas que já tem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

“É para aquela pessoa que infelizmente não teve tempo hábil para aprender na autoescola ou fez tudo e a autoescola não atendeu da melhor forma possível. A gente sabe que o tempo é curto, não dá para aprender muita coisa”, explicou o representante do App.

A grande dúvida é se o aplicativo veio para acabar com o emprego dos instrutores. De acordo com Soares, o aplicativo oferece justamente o contrário. “O aplicativo tem como objetivo melhorar as condições de ensino para os instrutores e para os alunos. Além de tornar possível que os instrutores aumentem a sua renda mensal ou semanal. Viemos para agregar, não acabar”, disse Soares em resposta a Márcia Pontes.

Para se cadastrar no aplicativo há algumas exigências. Para completar o cadastro, o aplicativo pedirá alguns documentos indispensáveis que deverão ser enviados para os administradores, como forma de validar o cadastro. Dentre esses documentos está a CNH – de acordo com os organizadores, mesmo com pontos na CNH será possível o cadastro- a credencial do instrutor junto ao Detran, além de dados do veículo.  O veículo que será utilizado pelo instrutor deve estar em dia com a documentação e em boas condições, e ser, no mínimo, do ano de 2008.

Os instrutores, assim como os motoristas do Uber, também serão avaliados no aplicativo.

“Estaremos sempre monitorando e aqueles instrutores que não seguirem a risca os critérios de segurança levando a melhor aula e os melhores conceitos de segurança para o aluno, terão suas aulas invalidadas tanto pelo aluno quanto por nós do aplicativo”, respondeu Soares.

O que pensam os instrutores

Fabrício Medeiros, instrutor de trânsito de Santa Catarina, acha a ideia interessante. “Atingirá um público que, muitas vezes, acha dispendioso procurar um CFC para treinar, ou tem vergonha de ser visto num carro de autoescola. Também há aqueles que nem sabem que os CFCs oferecem esse serviço ou não conhecem os autônomos, conhecidos como “Treinamento para Habilitados”. Isso irá ajudar muito a essas pessoas”, afirma.

Para Medeiros, o aplicativo não afetará o trabalho do instrutor no CFC.

“Não trará grande impacto, visto que a legislação não permite para Primeira Habilitação. Além disso, percebo ser pouco o volume de treinamento para habilitados. Na verdade creio até que trará um bom aumento de ganhos para a classe”, acredita o instrutor.

Existe apenas uma preocupação sobre o fato do instrutor cadastrado poder ter pontos na CNH. “Particularmente ter pontuação não desabona o instrutor frente ao aluno, pois provavelmente não terá acesso a este dado, porém deve-se constatar se não é um infrator contumaz”, diz o instrutor.

Para Anna Maria Garcia Prediger, que é instrutora de trânsito e também dá aula para habilitados no Paraná, a ideia também parece ser interessante. “Acho que se for como uma plataforma, que tem bons profissionais e tem como ter uma segurança e realizar avaliações, é interessante sim”, conclui a instrutora.

Já a instrutora Carla Clara, do Rio de Janeiro, vê a iniciativa com preocupação.

“Acho arriscado. Na minha opinião, é mais seguro procurar as empresas que hoje são autorizadas pelo Detran a dar aula, que no caso são as autoescolas”, argumenta.

A entrevista completa, com detalhes do aplicativo, divulgada pela especialista Márcia Pontes, você encontra aqui.

12 respostas para “Oportunidade ou ameaça: app de instrutores oferece treinamento para habilitados”

  1. Sou instrutor credenciado pelo Detran de Minas Gerais atuei em CFC por 10 anos e desde 2013 atuo exclusivamente com habilitados
    Penso que o app será de grande ajuda para aproximar os clientes dos intrurores!

  2. Sandra Lopes disse:

    Pelo que li o instrutor tem que está ligado ao Detran, como ele vai trabalhar no app e em um cfc ao mesmo tempo? Para obter a credencial tem que ser admitido em um cfc. Ficou a dúvida.

  3. Giovani Fiorese disse:

    Interessante esta reportagem, mas o instrutor terá que ter um veículo próprio para atender os alunos ou pode ser com o veículo da pessoa mesmo??

  4. Sergio disse:

    KKKKKKKK um tapa na cara das auto escolas e DETRANs do Brasil. Sempre comento sobre o crescimento dos profissionais vulgo “aula para habilitados”! que são pessoas sem credenciamento e sem regra para ensinar os alunos habilitados que não aprenderam a dirigir nos CFCs e auto escolas kkkkk mas se não aprenderam como tem habilitação? Agora ficou chato porque chega ao cumulo de ter até APP para contratar instrutores e isso vai bombar sabe porque? porque 80% pagou para passar no exame prático e muitos nem CFC A fizeram. Uma vergonha nacional.

  5. Ana Moura disse:

    Eu vejo o aplicativo como uma oportunidade para quem está desempregado.Eu sou instrutora desde 2007 e estou desempregada a mais de 4 anos , faço outros bicos claro ,mas com a desculpa da crise.As empresas se adaptaram para jogar instrutores para outras filiais só para não contratar mais funcionários, sendo assim deixaram muitos desempregados .

  6. Herik Souza disse:

    Bom dia! Na minha opinião o mercado vai encher de instrutores para Habilitados e como acontece no Uber todos ficam trabalhando 12 horas por dia sem retorno satisfatório. Mas o grande retorno tem os donos do aplicativo que fica com 30 porcento do trabalho de milhares de trabalhadores. Outra vez passamos a ser empregados e trabalhar como escravos tecnologia.

  7. Fabio Vicentini disse:

    Treinamento para habilitados. Santos (13) – 99787-8976. (vivo ). Localiza-se no litoral sul. Entrar em contato com fabio vicentini escola fv. Fabio vicentini treinamento para habilitados. Atendemos: cubatão – santos – são vicente – praia grande – mongaguá. Hoje em dia é comum a figura do personal trainer, aquele profissional que ajuda pessoalmente e quase que diariamente o cliente a manter sua forma física. Mas o que pouca gente conhece é o serviço de personal driver. Este é o trabalho realizado pelo instrutor fábio vicentini. O curso é voltado para pessoas que tem algum tipo de dificuldade, falta de confiança ou restrição para dirigir. O serviço é pioneiro e exclusivo na região metropolitana de São Paulo. As aulas são individuais e o instrutor busca o aluno em casa, no trabalho ou onde ele estiver para todas as atividades. No início do curso o instrutor avalia a habilidade do aluno e a partir daí desenvolve o melhor planejamento de trabalho, que inclui noções básicas de dirigir, situações do dia-a-dia e viagens em auto-estradas. Ao final do acompanhamento do personal driver, o aluno estará totalmente apto a enfrentar o trânsito das maiores metrópoles, bem como realizar grandes viagens com tranqüilidade e segurança. é importante lembrar que o aluno precisa ser habilitado e o curso não substitui as aulas obrigatórias e todo o processo para adquirir a habilitação. O programa de personal driver segue o nome bem à risca. Todas as aulas acontecem no sistema de delivery class, no qual o instrutor vai ao encontro do aluno, onde quer que ele esteja. O curso é tão personalizado que é o próprio cliente quem faz o seu horário. Para que o curso seja mais produtivo é fundamental que o aluno se sinta à vontade para aprender com naturalidade. Fábio vicentini dá toda a estrutura necessária com carros que possuem ar-condicionado, direção hidráulica e sempre uma música relaxante no CD player. Além da estrutura diferenciada no sistema de aulas e nos carros utilizados no curso, outra grande diferença entre o serviço de personal driver e as tradicionais aulas para habilitados é a didática. Transmitindo sempre calma e tranqüilidade, fábio vicentini passa o conteúdo das aulas com clareza e precisão aos alunos. A aprovação até hoje é de 100%. O acompanhamento do personal driver tem carga de 10 horas-aulas, distribuídas conforme a disponibilidade e necessidade do cliente. O curso é dividido em três partes: técnicas básicas de direção, reprodução das situações do dia-a-dia e desenvolvimento de técnicas em estrada. Assim como numa avaliação física, vicentini usa as primeiras aulas para enxergar como está a dirigibilidade do aluno e então fazer uma programação mais adequada a cada um. No início o personal driver desenvolve o controle dos pedais e a técnica de dirigibilidade do cliente. Estes fatores geram mais controle, segurança e facilitam a condução do veículo em situações comuns, como subidas, retomadas, contorno de curvas, desvios, mudanças de faixas e ultrapassagens. Após afiar a técnica para condução do veículo, o aluno passa a simular as situações que encontra no seu dia-a-dia, para se familiarizar e não ser pego de surpresa. Esta consiste em idas ao supermercado, à faculdade, ao shopping ou ao trabalho. Preparado para enfrentar o trânsito de uma metrópole, o aluno chega à fase final, que é aplicar seus conhecimentos na estrada. O encerramento é uma viagem, no carro do cliente, ao litoral sul de São Paulo, passando por praia grande, são vicente – com parada no topo da ilha porchat – e santos. Os alunos da baixada sobem a serra indo até São Paulo. Fábio vicentini está ligado com educação ao volante há mais de 15 anos. Ele iniciou seu trabalho como instrutor em 1996, dando aulas para futuros pilotos de carros e de motos. Neste mesmo ano ele fez parte da equipe de resgate do gp Brasil de fórmula 1. Faz parte do ceoc. Centro de exelência de oficiais de competição reconhecida pela fia. Em 1996 vicentini iniciou seu trabalho como instrutor de direção defensiva e instrutor de teste driver (função exercida na bmw e na volvo, gm, bmw, Ford, kia e em 1998 passou a realizar o xclusivo serviço de personal driver. Ele também atua como piloto e instrutor de test drive, tanto de motocicleta quanto de carros. Atualmente também ministra aulas práticas de pilotagem competitiva na alpie – escola de pilotagem, no autódromo de interlagos, em São Paulo…
    CONTATO: (13) 99787-8976.zap

Deixe uma resposta para Ana Moura Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *