Publicado em 04 de setembro, 2019 as 08h13.

Confira as dicas do Detran/SP para ficar “zen” na prova prática de direção

Em parceria com o Hospital das Clínicas, a psicóloga Mariângela Savoia respondeu dúvidas de internautas durante live

Por Assessoria de Imprensa.

Prova prática
Foto: Ministério das Cidades.

Para ajudar os candidatos prestes a passar pelo teste de direção, o Detran.SP realizou na última sexta-feira (30) a segunda transmissão ao vivo da série #PerguntaproDetran em parceria com o Hospital das Clínicas.

A convidada foi a psicóloga clínica Mariângela Savoia, do Programa de Ansiedade do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas. Na live “Zen na prova prática”, ela respondeu dúvidas dos internautas e deu várias dicas práticas para dominar a ansiedade na hora do exame e também depois, quando o motorista está habilitado e encara o trânsito.

Veja as principais dicas da profissional (o vídeo na íntegra, você encontra aqui)
O que fazer para combater a ansiedade antes da prova prática?

“A ansiedade depende muito da expectativa da pessoa em relação à prova. Todos têm certo grau de ansiedade para fazer essa ou outra prova. É importante aceitar que não é como assistir a um filme comendo pipoca. Ou seja, é normal ficar um pouco nervoso. Uma dica é fazer alguns exercícios de respiração diafragmática e mentalizar cenas tranquilas.”

Há algum alimento específico para ajudar a relaxar?

“A recomendação é fazer uma alimentação leve. Nem pense em comer uma feijoada antes da prova. Não vai dar certo.”

Como dormir bem no dia anterior à prova?

“A dica é descansar e praticar atividades relaxantes no dia anterior. Atividades físicas leves podem ajudar. Meditação também. Exercícios muito intensos não são indicados, pois provocam estresse. E evite medicamentos com os quais não está acostumado.”

Como lidar com histórias negativas de outros candidatos?

“A tensão da espera e ouvir histórias de outros candidatos fazem parte do pacote. A dica é ter foco e esquecer o resto na hora em que entrar no carro. O melhor é não pensar no antes e no depois. É preciso prestar atenção, concentrar-se no presente, tentar deixar o que é do outro para o outro.”

Como colocar em prática o que aprendeu na hora da baliza?

“A baliza é um pesadelo comum na hora da prova prática. Fique atento à baliza, aos cavaletes e se preocupe em seguir as orientações do instrutor. A respiração diafragmática ajuda muito nesses momentos. É preciso contar dois para inspirar e quatro para expirar.”

Já fiz mais de 30 aulas extras e ainda não passei. O que eu faço?

“Esse é um caso em que é preciso avaliar o que a pessoa está errando. É o circuito, é a baliza? Ver o que passa na cabeça, qual é o medo e enfrentar. Às vezes, a indicação é fazer um treino específico para a fobia de dirigir.”

Há diferença entre o medo e a fobia?

“Sim, há diferença. O medo todo mundo tem ao longo da vida e ele faz com que nos preparemos para lidar com o perigo, com as dificuldades. Temer um animal feroz, por exemplo, é diferente de ter fobia de um gato. Sobre não passar na prova de direção prática, é normal ficar apreensivo. Mas isso passa a ser um problema na medida em que provoca um travamento.”

Como lidar com o pânico de dirigir mesmo após passar na prova?

“O pânico de dirigir tem várias vertentes. Há quem tenha medo de se perder, de atrapalhar o trânsito, de não conseguir dirigir entre os carros. Normalmente, o treino ocorre com alguém ao lado, mas, de repente, você está só. Existem programas específicos para a fobia de dirigir, baseados no aumento gradativo das dificuldades. Tive uma paciente que precisou superar o medo de subir a ladeira da alameda Ministro Rocha Azevedo, nos Jardins, em São Paulo. Foi o último degrau dela. É como uma escada. Outra paciente dava voltas no quarteirão enquanto a terapeuta esperava e, dia a dia, ficou mais segura.”

Como lidar com o medo específico de dirigir na estrada?

“Em geral, a estrada está ligada à velocidade. A dica é treinar com alguém que inspire confiança e pegar rodovias mais tranquilas. Mas a companhia não pode ser aquela pessoa tensa, que fica orientando a todo instante. Muitos têm dificuldades para dirigir justamente por causa de pessoas que exageram nas críticas.”

Parceria

“Zen na prova prática” foi a segunda transmissão realizada em parceria com Hospital das Clínicas e a Secretaria de Estado da Saúde. Na primeira live, “Cuidando da Coluna”, o médico Alexandre Fogaça Cristante, especialista em coluna do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC, deu dicas para os motoristas prevenirem dores e desgastes do sistema locomotor.

A próxima transmissão será sobre equipamentos de segurança para motociclistas e acidentes envolvendo essa categoria.

As informações são do Detran/SP

3 respostas para “Confira as dicas do Detran/SP para ficar “zen” na prova prática de direção”

  1. Cleonir Souza disse:

    Muito bom. Parabéns

  2. Fran disse:

    Muito bom.
    Portal do Trânsito dando espaço para todos os profissionais envolvidos no processo.” Formação de Condutores”, no caso aqui, ” a Psicologia. “.

  3. Lazaro Damion do Amaral disse:

    Acabaram, com o principal profissional, do sistema de autoescola. Aquele instrutor que ensinou todos os vizinhos, todos os parentes. Os amigos dos parentes pegavam em um lugar deixava em outro, juntando o útil ao agradável, parte dos anos 80 e 90 trabalhei com o carro no meu nome eu era agregado em uma autoescola. Hoje conheço instrutores que perderam o carro, o único bem que possuíam porque as autoescolas faliram. Estes profissionais hoje não existem mais, os que existem virou ferramenta de arrecadação com o total apoio do sistema, número obrigatório de aulas, é uma falta de respeito aos alunos talentosos. Grandes partes dos alunos sonham em serem motoristas principalmente os mais pobres, desde criança observam tudo a respeito, completam idade, mas não tem dinheiro, sabem quase tudo, mas tem que passar pela armadilha das arrecadações números de aulas obrigatórias simuladoras etc. Tem aluno que precisa de cinco aulas ou menos, outros ate setenta ou mais. Talentos são diferentes, e ai que aparece os bons INSTRUTORES que e o elemento principal do sistema.
    Simulador então chega a ser uma piada na opinião de 90% dos usuários. Sendo que muitas autoescolas obrigam os alunos fazerem o nº máximo de aulas permitido, e com isto os alunos gastam muito mais, e aprendem muito menos. Tragam de volta o instrutor autônomo, e tirem essa ideia de que tem que tirar dinheiro da população a qualquer custo, ressuscite o nosso transito. Parem de perder tempo, em ficarem chateado os trabalhadores com fiscalização de nº de registros de aulas e cuidem dos exames, que é a única forma de ver o bom trabalho prestado pelas autoescolas. Já imaginaram o dono de cinquenta carros, como ele fica contente, com os alunos esperando a boa vontade da internet para abrirem e fechar as aulas pratica. Se um instrutor abrir uma aula errada, veiculo diferente ou coisa do tipo todo o Autoescola e suspenso por trinta dias, Qual e a logica disso? Cento e noventa países na terra e somos o quinto em mortalidade no transito.
    ° MORTE DE MOTOCICLISTA; Grande parte de acidentes fatais e não fatais, estão relacionada aos exames que são aplicados aos candidatos. O que se exigem nos exames, e a única coisa que a maioria dos autos escolas ensina. Por que os exames não exigem mudanças de marchas? Pelo menos até terceira, reduções, cetas para os dois lados, paradas e saídas em aclives. Por que facilitar tanto, uma coisa tão prazerosa quanto, perigosa. Pouquíssimas autoescolas ensinam o que tem que ser ensinado, a maioria só visão dinheiro, muitos alunos gastam as vinte aulas obrigatória aprendendo a sair em marcha lenta, para economia de gasolina, sem saber que tem que acelerar para a moto sair, e os alunos são colocados para exames na esperança de serem reprovados para pagarem as reprovas que variam de trezentos a quinhentos reais. Qual é a lógica de habilitar uma pessoa, em que o examinador nunca viu uma mudança de marcha e isto acontece muito, porque os exames do estado de São Paulo não exigem, e com isto continuamos sendo um dos campeões em mortalidade no transito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *