Publicado em 22 de outubro, 2019 as 08h15.

Comissão especial debate realização de exame toxicológico em motoristas

Por Agência de Notícias.

Exame toxicológico
Foto: Arquivo Tecnodata.

Dando continuidade às reuniões, a Comissão Especial que altera o Código de Trânsito Brasileiro (PL 3267/19) promove audiência pública nesta terça-feira (22) sobre a realização de exame toxicológico.

Lei do Caminhoneiro, de 2015, tornou obrigatório o exame toxicológico para habilitação, renovação e mudança da carteira para as categorias C, D e E, que são os de caminhões e ônibus. Mas o projeto que muda o Código retira a exigência do exame sob o argumento do elevado preço para a falta de exatidão. O exame busca no motorista substâncias psicoativas que comprometam a capacidade de direção e que tenham período de detecção de no mínimo 90 dias.

A realização do debate atende a requerimentos de diversos parlamentares, entre eles o deputado Hugo Leal (PSD-RJ). Ele é contra a retirada do exame.

“A própria Associação Brasileira de Medicina de Tráfego e outras entidades que inicialmente tinham alguns obstáculos com relação ao exame toxicológico hoje reconhecem, pelos resultados, que eles têm trazido um efeito positivo do ponto de vista de livrar o trânsito dessas pessoas que infelizmente, às vezes por desvio ou por doença, fazem uso dessas substâncias.”

O deputado Nicoletti (PSL-RR), que também pediu o debate, destaca que alterações trazidas pelo projeto ao Código de Trânsito Brasileiro interferem diretamente no trabalho dos policiais rodoviários federais, assim como nas ações relacionadas aos exames psicológico, de saúde e toxicológico de motoristas. “É de grande importância e relevância a participação de representantes dessas categorias”.

Foram convidados:
  • o diretor do Departamento Nacional de Trânsito, Jerry Adriane Dias Rodrigues;
  • um representante da Polícia Rodoviária Federal;
  • o procurador do Ministério Público do Trabalho, Paulo Douglas Almeida de Moraes;
  • o presidente da Associação Brasileira de Toxicologia, Renato Borges Dias;
  • o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros, José da Fonseca Lopes;
  • o presidente da ONG Trânsito Amigo, Fernando Diniz;
  • o presidente do SOS Estradas, Rodolfo Rizzotto; e
  • um representante da Confederação Nacional dos Transportes – CNT.
A reunião será realizada às 14h30, no plenário 6.

As informações são da Agência Câmara

7 respostas para “Comissão especial debate realização de exame toxicológico em motoristas”

  1. Sergio disse:

    Estes exames seria de suma importância se não houvesse o jeitinho brasileiro como demonstrou o Fantástico em uma de suas reportagens onde no Brasil todo se vende este exame de forma fraudulenta. Aqui em SP estes exames são oferecidos na porta do DETRAN Armênia, uma verdadeira vergonha deste órgão, aliás até venda de placas clonadas a Fantástico denunciou .

    • ligeirinho disse:

      Oi Sergio, seu comentário, está corretíssimo, mas estamos no Brasil, enquanto não tiver investimentos em cultura, estaremos nesse marasmo a vida toda. Porque os políticos não querem ordem.

  2. Rosinha disse:

    No meu ponto de vista deveria investir no drogometros que o motorista pode ser abordado a qualquer momento do que um exame desse q é caro e so é feito de 5 em 5 anos.

  3. Mário Luiz disse:

    Não serve de porcaria nenhuma esse exame só para tirar dinheiro dos cidadãos. Esses políticos não entendi nem de merda vai entender de trânsito. Muito dinheiro para os laboratórios e psicólogos.

  4. ELIAS disse:

    Não tem que acabar com exames, e sim com as fraudes..
    Quer dizer que se todos avançarem o semáforo vermelho, tem que acabar com a sinalização??
    É essa a linha de pensamento???

  5. luiz alves disse:

    Na minha opinião,deveriam fazer esse exame toxicologico, em todas as categorias de habilitação. Até porque tem muito mais acidentes com categoria A e B.sou taxista, tenho a categoria D,mas o que eu presencio nos finais de semana em boates, Club, Ctg,não é o uso de álcool só, mas as autoridades, fazem vistas grossas. Essa é simplesmente minha opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *