Publicado em 12 de abril, 2019 as 15h42.

Tecnologia poderá ser usada para detectar motorista drogado

Portaria do MJ institui grupo de trabalho para estudar viabilidade

Por Agência de Notícias.

Motorista drogado no trânsito
Países como Canadá, Estados Unidos e Austrália usam tecnologias de screening. Foto: Freeimages.com

O Ministério da Justiça e Segurança Pública decidiu instituir um grupo de trabalho para estudar a viabilidade de utilizar tecnologias de screening (rastreamento) para detecção de motoristas dirigindo sob efeito de substâncias psicoativas.

A portaria instituindo o grupo de trabalho está publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (12). Ela prevê que os seus integrantes terão um prazo de 12 meses para conclusão das atividades e, em seguida, apresentarem um relatório ao secretário Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad).

Drogômetro

A tecnologia é semelhante à do bafômetro, que detecta o teor de álcool no organismo. Países como Canadá, Estados Unidos e Austrália usam tecnologias de screening. O aparelho tem a capacidade de identificar, em cinco minutos, a presença de substâncias como maconha, cocaína e anfetaminas a partir de amostras de saliva de motoristas.

“A experiência de países como Austrália, Inglaterra, Noruega, Alemanha, Nova Zelândia, Canadá e Estados Unidos demonstra que, aliada às políticas de fiscalização, a implementação das técnicas de triagem para detecção de substâncias psicoativas por condutores de veículos é efetiva para reduzir os índices de colisões e mortes no trânsito”, disse o secretário nacional de Políticas sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora.

O grupo de trabalho será composto por representantes, titular e suplente, da Senad, da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da Polícia Rodoviária Federal. O trabalho será coordenado pelo representante da Senad.

As informações são da Agência Brasil

2 respostas para “Tecnologia poderá ser usada para detectar motorista drogado”

  1. Rosy disse:

    Isso sim concordo plenamente, pporque o exame toxicológico nao resolve quase nada

  2. André Luis Bizarria Guilherme disse:

    Concordo em gênero número e grau, é preciso fazer sim alguma coisa para tirar condutores sob efeito de drogas, em minha opinião para o início do processo de habilitação o exame toxicológico deveria ser feito no início, meio e antes de entregar a PPD para o candidato, infelizmente, em muitas salas de aula teórico deparamos com candidatos sob efeito de droga.

Deixe uma resposta para André Luis Bizarria Guilherme Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *