Publicado em 01 de setembro, 2017 as 16h35.

PROCISSÃO dos MOTOCICLISTAS (“farra” ou “ato religioso”?!)…

Por ACésar Veiga.

Motocicletas
Foto: Freeimages.com

A história do “Cristianismo” é milenar, e nem sempre está recheada de verdade, retidão e paz…(até a “coerência” em certas ocasiões, marca presença por último)
 
Acredito que essa religião “despertou” na crucificação de “the Lord”…
 
OBS 01: “the Lord” é Jesus Cristo. Judeu que viveu entre nós a dois mil anos atrás. (já ouviu falar dele?)

Um ser humano polêmico no qual as pessoas têm opiniões desiguais. Alguns afirmam que ele foi somente um “bom homem”, outros que foi um “profeta” e o restante, que é o próprio “Deus”.
 
Ser pregado na cruz, “O”  transformou ao mesmo tempo, em mártir e exemplo.
 
Um desenrolar histórico sem sombra de dúvidas, repleto de mistérios e interpretações.
 
E assim, a religião “Católica” iniciou sua ascensão meteórica, com os apóstolos espalhando “sementes filosóficas” mundo a fora.
 
E a possível “verdade” fez-se em números, pois decorrido o tempo, o “Catolicismo” continua a ser a religião mais numerosa do mundo (uma das…).
 
Mas ela não é feita somente de números, mas sim, com igualdade de fatos…
 
Observem que apesar do declínio aparente nos últimos tempos, a “Igreja Católica” até esse momento exerce seu poder adquirido.
(há uma conexão óbvia entre os seus representantes e a sociedade)
 
Seus sacerdotes – tanto das épocas mais simples, como até o atual momento -, ainda oferecem um amplo espectro de “acalanto” para as crédulas almas…
 
Oferecem o batizado;

…oferecem a primeira comunhão;
…oferecem o casamento indissolúvel;
…oferecem a extrema unção e oferecem ao meu modo de ver,
o principal:
 
– “Oferecem a libertação do pecado!”
 
O pecado, das humildes almas…(almas ainda peregrinando no processo da evolução espiritual!)
 
E isto ficou bem claro, ao assistir a procissão dos “motociclistas” – aquela conjunta ao dia de Nossa Senhora Aparecida – a padroeira do Brasil -, que ocorre em Porto Alegre no Porto Seco.
 
OBS 02: a devoção à padroeira do Brasil mobiliza para o evento aproximadamente 30 mil motociclistas, que buscam a bênção e proteção da Santa.
 
Testemunhei, e ninguém contou…
 
O “sacerdote” aspergindo na multidão, sua água santificada, e os motociclistas ali…como ovelhas fiéis ao seu pastor. (ajoelhados ou em pé, mas ali – presentes com o corpo e a alma)
 
Alguns com o capacete em uma das mãos e na outra…bem, na outra, a inocente e conhecida “latinha de cerveja”.
 
Sentindo a “redenção” – como que tomados pelo êxtase -, ligeiros e jubilosos, distanciavam-se  do “padre”…(muitos com alegria, até “empinando” a motocicleta)
 
Como sentir a alma – quem sabe antes gorda de alguma traquinice -, agora mais suave pela absolvição lucrada.
 
Realmente obtive esse “testemunho”!
 
A demonstração que a fé move muitas coisas, além de montanhas…
 
– Ela move também a embriaguez…
 
– Move os riscos de acidentes, e move também a fragilidade do crânio. (principalmente para aqueles que celebravam imprudentemente, sem o capacete…)
 
Houve a transformação – literalmente -, de alguns em…bem-aventurado “cabeça dura”. (para exemplificar)
 
Sim, sem sombra de dúvidas foi um evento imperdível…(o verdadeiro show da Fé)
 
Mas, nesse ano há mais…
 
Então desejo, que essa “festa religiosa” não fique encurralada por irresponsabilidades, o que torna ainda mais robusta…sua possibilidade de fracasso social!

Abraços…