Publicado em 29 de novembro, 2018 as 08h25.

Mulher e moto: a invasão do sexo feminino num universo que era só dos homens

Por Dirceu Rodrigues Alves.

Mulher na moto
Foto: Pixabay.com

A mulher sempre foi tímida, temerosa, caseira, ligada ao trabalho doméstico, e num piscar de olhos, a partir da década de sessenta passa a invadir espaços nunca dantes navegados. Lança-se no mercado multidisciplinar, avança em todas as direções passando a concorrer sistematicamente com o homem.

De pouco tempo para cá invade o espaço das motocicletas, até então domínio absoluto do sexo masculino. Começa como carona e logo assume o guidom.

Discretas, sem exibicionismo, cautelosas, preocupadas com a segurança, conquistam o mercado de motocicletas. Hoje, estima-se que 25% da frota brasileira de motos sejam de domínio das mulheres.

E porque será que esse mercado cresce tanto?
Vários são os fatores: 
      • Prazer de pilotar
      • Baixo custo
      • Baixo consumo
      • Manutenção de baixo custo
      • Fácil estacionamento
      • Proporciona lazer e trabalho
      • Fácil mobilidade

Mas a mulher não ficou só na utilização convencional da moto. Partiu para motoboy, mototaxi, moto velocidade, MotoCross, rali, moto aventura, invadindo áreas que jamais entrou.

Curiosamente temos observado que o número de acidentes envolvendo o sexo feminino tem sido baixo e quase sempre sem muita gravidade. A gravidade torna-se predominante quando a mulher é passageira, sempre conduzida por homem, principalmente jovem.

Daí surgiu também novo mercado de moda. Roupas, capacetes, luvas, macacões, botas e todo um aparato sofisticado e específico para atender uma nova vaidade feminina. A demanda cresce, o mercado se agiganta. Tudo é usado de conformidade com a legislação. Cuidados na utilização dos equipamentos de segurança, na manutenção dos mesmos e do veículo.

Fatalidades são raras quando pilotando e se justifica tendo em vista um comportamento totalmente diferenciado em relação ao homem.

Principais diferenças na utilização da moto:

                 HOMEM                                                               MULHER

STATUS, PODER, CONQUISTA                                            NECESSIDADE

EXIBICIONISTA                                                                     HUMILDE

NEGLIGENTE, IMPRUDENTE                                               PRUDENTE, SEGURA

SEM MEDO                                                                           MEDO

NÃO CAUTELOSO                                                                CAUTELOSA

ESQUECE A SEGURANÇA                                                   SEGURA

ACIDENTES MÉDIOS E GRAVES                                        ACIDENTES LEVES

COMPULSÃO PARA VELOCIDADE                                     SEM COMPULSÃO

IMPACIENTE                                                                        PACIENTE

CHEGA AO ESTRESSE RÁPIDO                                          ESTRESSE EM LONGO PRAZO

AGRIDE                                                                                NÃO AGRIDE

INTOLERANTE                                                                     TOLERANTE

NÃO USA A DIREÇÃO DEFENSIVA                                    USA DIREÇÃO DEFENSIVA

VELOZ                                                                                  SEM VELOCIDADE

USA DIREÇÃO OFENSIVA                                                  NÃO USA DIREÇÃO OFENSIVA

FAZ USO DE ÁLCOOL E DROGAS                                      RARAMENTE USA

 

E vai por aí, múltiplos outros fatores diferenciais estão presentes.

Como explicar tudo isso?

O homem difere em muito da mulher desde o metabolismo, as alterações hormonais, agilidade, agitação, desequilíbrio comportamental, atos impensados, compulsividade, pressa, melhor orientação espacial, necessidade constante de impor condições e de se julgar o dono do mundo.

As diferenças estudadas por pesquisadores americanos foram justificadas por condições genéticas e a ação de estrogênios na mulher.

No sexo feminino há uma integração dos hemisférios cerebrais fazendo com que o hemisfério emotivo se conecte com o hemisfério analítico levando a atitudes mais elaboradas, mais seguras, conscientes, bem conduzidas, diferentemente do homem que têm como característica rapidez no raciocínio matemático e espacial.

As mulheres são melhores nas condutas, nas palavras, nas relações humanas, mais tranquilas e analíticas.

Estou convicto que por todos os motivos e justificativas apresentadas, entendo que sobre duas rodas, seja no lazer ou no trabalho, a mulher é mais consciente, segura, cônsul dos riscos, responsabilidade e tem melhor desempenho.