Publicado em 04 de agosto, 2018 as 13h46.

Receita definitiva para emagrecer: compre um carro!

Por Rodrigo Vargas de Souza.

Compra de carro
Foto: Pixabay.com

Já há algum tempo que tenho me aventurado na área do marketing digital. Por não ser um expert no assunto, sigo constantemente buscando novos conhecimentos para poder ampliar minhas possibilidades de negócio. Talvez não seja o melhor nem mais rentável nicho, mas percebi desde então uma quantidade imensa de infoprodutos na área do emagrecimento.

Até então nenhuma surpresa. Afinal de contas, as pessoas estão cada vez mais preocupadas com questões como saúde e qualidade de vida. O que me surpreende é que, dentre as mais diversas e milagrosas receitas comercializadas até hoje, prometendo seja um corpo escultural, seja perda de peso quase instantânea, não figure a compra de um carro! Isso me surpreende…

Para além das já exaustivas discussões sobre o sedentarismo estimulado pelo automóvel, há uma aspecto que passa quase sempre batido para quem pensa em adquirir um carro: os custos para mantê-lo. Recentemente, estive visitando a concessionária para uma das habituais revisões periódicas. O resultado ao sair da loja transita entre o alívio da preocupação de algum imprevisto mecânico; e a preocupação com as próximas faturas do cartão de crédito, nas quais será cobrada aquela revisão.

Isso se tratando de um 0km. Quando falamos de um carro usado a situação talvez venha a piorar. Abordei recentemente meu drama para sustentar minha “segunda família” no artigo O RITO DE PASSAGEM (de ônibus!)No entanto, independente de ser novo ou usado, há gastos que são inerentes ao veículo, tais como a prestação (caso seja financiado), combustível, IPVA, seguro obrigatório, seguro contra terceiros, estacionamento, manutenção… todos gastos que farão diferença no seu orçamento.

Se você alguma vez já ouviu a expressão “o carro come na mesa junto com você”, pode imaginar o que isso significa. Assim como expressei no artigo LABORATÓRIO SUBJETIVO, como é de praxe em uma sociedade que vive de aparências, há quem gaste o que tem e o que não tem para adquirir seu carro novo, posteriormente tendo que se submeter a economias extremas, tais como ir trabalhar de ônibus ou, exatamente, ficar sem comer. Se esse é o seu caso, uma boa dieta!