Publicado em 19 de novembro, 2018 as 08h16.

Como o trânsito de São Paulo interfere no valor de imóveis?

Por Agência de Conteúdo.

Reportagem de Caroline Santiago

Preço do imóvel em SP
São Paulo é uma das cidades com elevado preço no m². Foto: Free – Vanessa Bumbeers

Em cidades mais urbanas e repletas de habitantes, como São Paulo, questões como a demanda de transporte público na região e até mesmo a proximidade com grandes avenidas podem ser exemplos de fatores que influenciam na escolha de um imóvel.

Devido a alguns desses pontos, São Paulo é uma das cidades com elevado preço no m². A principal razão é a mobilidade, quesito no qual o município ocupa um lugar acima até mesmo de Nova York em termos de qualidade. Entretanto, todas essas vantagens ainda são subjugadas pelo trânsito constante.

São Paulo está, atualmente, em 4º lugar no ranking das cidades com mais engarrafamentos do mundo. O estudo foi feito pela consultoria de transportes Inrix, de Los Angeles. A preocupação com o grande volume de automóveis, porém, trouxe benefícios para os cidadãos: mais estações de metrô para desafogar o tráfego nas principais avenidas.

Quais são as novas estações do metrô de São Paulo?

Entre os municípios brasileiros, São Paulo sem dúvida se destaca quando o assunto é locomoção. Recentemente, os paulistanos puderam comemorar cinco novas estações que, em pouco tempo, já estão revolucionando sua vida e seus trajetos. Os dados abaixo foram extraídos do portal Agente Imóvel.

  • Higienópolis-Mackenzie (linha 4 – Amarela)

Inaugurada no dia 23 de janeiro de 2018, a estação Higienópolis-Mackenzie foi uma das últimas a serem ativadas na linha até então. O objetivo é, em três anos, integrá-la à ainda inexistente linha 5-Laranja do metrô paulistano.

O bairro de Higienópolis, no qual a estação fica, é um dos mais valorizados da cidade, com imóveis cujo metro quadrado custa, em média, R$ 10.692,00. O endereço com tráfego mais intenso é a Rua da Consolação, onde possui imóveis que chegam a R$ 820.281,00.

  • Oscar Freire (linha 4 – Amarela)

A estação Oscar Freire da linha 4-Amarela iniciou suas operações no dia 4 de abril de 2018, e está próxima a uma via com muito trânsito de veículos e grande quantidade de prédios comerciais: a Av. Rebouças.

O bairro Jardim Paulista tem valorização mensal  significativa: R$ 12.133,00 por metro quadrado e imóveis que atingem os seis dígitos, por volta de R$ 2.637.778,00.

  • São Paulo – Morumbi (linha 4 – Amarela)

A estação São Paulo – Morumbi da linha 4 – Amarela iniciou suas atividades em horário comercial no dia 10 de novembro, a avenida mais próxima é a Professor Francisco Morato, conhecida pelo grande volume de trânsito.

Está localizada no Butantã, que também faz parte do ranking dos bairros mais valorizados da cidade, com uma ascensão que chegou a até 13% nos valores dos imóveis somente nos últimos meses.

  • Eucaliptos (Linha 5 – Lilás)

Próxima à importante Av. Ibirapuera. Com o metrô, o fluxo de pessoas pelos arredores aumentou muito após a inauguração, em 2 de março de 2018. Consequentemente, o bairro de Indianópolis ganhou valor. Somente na Av. Ibirapuera, a alteração mensal foi, em média, de 22,5%.

  • Moema (linha 5 – Lilás)

Inaugurada em 5 de abril de 2018, a estação Moema trouxe uma importante evolução na mobilidade do bairro homônimo. Os imóveis da região, que sempre foram muito procurados, têm agora uma demanda ainda maior, e a valorização chega a levar o preço do metro quadrado a um dos níveis mais altos da cidade: R$ 11.764. Na Av. Moema, onde o trânsito era uma constante e agora se situa a estação, a valorização chega a 5,62%.