Publicado em 19 de fevereiro, 2013 as 13h13.

Manutenção preventiva do caminhão pode evitar gastos desnecessários

Por Mariana Czerwonka.

Além de oferecer mais segurança no trânsito, cuidar preventivamente do caminhão sai muito mais em conta para o caminhoneiro do que efetuar reparos de emergência. A manutenção preventiva é, em média, 30% mais em conta do que a corretiva, segundo especialistas

Um dos itens que deve ser verificado pelos motoristas é o sistema de escapamento, conjunto de peças, entre outras, que são checadas na inspeção ambiental veicular. “Se for identificado algum problema na inspeção, peças soltas ou partes desgastadas, o veículo é rejeitado”, adverte Henry Grosskopf, gerente de Engenharia de Produtos da Tuper Escapamentos e Catalisadores.

Ele explica que solavancos em pisos irregulares e a própria vibração do motor podem levar à fadiga as peças do sistema de exaustão dos caminhões. “Além disso, podem ocorrer problemas de corrosão da parte externa do escapamento para a interna já que o diesel, ao contrário do etanol e da gasolina, é menos corrosivo”, enfatiza.

Para evitar transtornos, os caminhoneiros podem colocar o veículo em uma rampa e efetuar a verificação visual do escapamento para ver se há algum problema aparente, como quebra de suportes ou trincas nos tubos e silenciosos ou procurar uma oficina de confiança para fazer o reparo e a troca das peças para que o veículo seja submetido novamente à inspeção. “Isso gera transtorno e prejuízo ao caminhoneiro que precisa do veículo em ordem para trabalhar. Esse contratempo pode ser evitado se o motorista fizer uma revisão no veículo em uma oficina de confiança antes de passar na inspeção ambiental veicular”, comenta Grosskopf.

Ao substituir peças danificadas do conjunto de escapamento, a recomendação é efetuar a troca por componentes de qualidade e compatíveis com o modelo do veículo para não comprometer a funcionalidade do sistema. Somente em modelos muito antigos e que não há peças específicas no mercado de reposição é que são feitas algumas adaptações. “Evite soldar ou amarrar o escapamento para não correr o risco das peças caírem quando o veículo estiver em movimento, podendo causar acidente na estrada”, ressalta.

Catalisador

Apenas os veículos mais modernos possuem catalisador. Desde 2012, para atender às normas do Euro V (Proconve 7), os caminhões contam com um novo sistema de pós-tratamento de emissões. Agora, o sistema de exaustão dos caminhões tem tratamento químico e adição de aditivo para garantir a redução de emissões de poluentes. “Trata-se de um sistema eletrônico com produtos de alta tecnologia embarcada que permite a purificação dos gases resultantes da combustão do diesel nos motores, com benefícios significativos para o meio ambiente”, finaliza.