Publicado em 06 de fevereiro, 2016 as 08h25.

STJ rejeita recurso de Carli Filho e júri popular poderá ser remarcado

Por Mariana Czerwonka.

Carli Filho
A previsão é de que o júri popular seja remarcado para meados de abril ou maio.

Suspenso pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no dia 14 de janeiro, o júri popular que deve julgar o ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho poderá ser remarcado graças a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) publicada nesta quinta-feira (4). Antes, o julgamento estava agendado para o dia 21 de janeiro. Carli Filho é acusado de ter matado dois jovens em um acidente de trânsito em maio de 2009, em Curitiba.

Com o recurso rejeitado, a decisão do STF que suspendeu o julgamento perdeu seu objeto. Relator do habeas corpus impetrado pela defesa, o ministro Gilmar Mendes deve cessar a liminar assim que o Supremo voltar do recesso de carnaval, na tarde da próxima quarta-feira (10

A previsão é de que o júri popular seja remarcado para meados de abril ou maio.

Relembre o caso

Era madrugada do dia 07 de maio de 2009. Gilmar Rafael Yared, 26, e Carlos Murilo de Almeida, 20, voltavam de um shopping e seguiam em um Honda Fit branco. No outro veiculo, Fernando Ribas Carli Filho, 26, na época deputado estadual, havia saído de um restaurante e estava alcoolizado. Carli Filho estava no Passat SW preto e dirigia com a carteira de habilitação suspensa. Com 24 multas por excesso de velocidade,  cinco delas na rua do crime que tem velocidade máxima permitida de 60 km por hora.

O Honda Fit branco freou e entrou devagar na rua quando o Passat preto do deputado que, devido à velocidade e o desnível da rua, decolou. Voando, colidiu com o primeiro carro e veio a capotar. Ao passar sobre o carro branco, decapitou Carlos e Gilmar.

Em 2014, depois de transformar a perda do filho em causa, Christiane foi eleita deputada federal pelo PTN, sendo a candidata mais votada no Paraná. Na política ela tenta transformar a dor em uma luta constante contra  a impunidade.