Publicado em 02 de janeiro, 2018 as 08h41.

Por que o sistema ISOFIX é o mais seguro para o transporte de crianças?

Por Mariana Czerwonka.

Isofix no carro
O mais importante é que a segurança fornecida pelo sistema não se limita apenas à instalação. Foto: Divulgação.

A cadeirinha é um dos acessórios indispensáveis e fundamentais para a segurança das crianças no trânsito.  Porém, é preciso saber que nem todas elas protegem da mesma maneira. Nesse sentido, ter ISOFIX no veículo pode auxiliar em vários aspectos, desde a correta instalação até o melhor posicionamento da cadeirinha.

O que é o sistema ISOFIX?

Conforme definido pelo Royal Automobile Club da Espanha (RACE), o ISOFIX é um sistema de ancoragem que regula a instalação de um banco de segurança infantil (bebê conforto, cadeirinha e assento), e reduz os riscos de erros no uso. Assim, os pontos de fixação do sistema ISOFIX fazem parte da estrutura do veículo.

O sistema nasceu em 1997 e foi regulamentado primeiramente nos Estados Unidos. Lá, já era obrigatório que os novos modelos tivessem ISOFIX em 2001. No Brasil, A Resolução 518 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) determinou que todos os novos projetos de automóveis, caminhonetes e utilitários, produzidos no Brasil ou importados, deverão possuir os sistemas de fixação Isofix a partir de 29 de janeiro de 2018. Depois de dois anos, em 2020, a medida valerá para todos os veículos em produção no país.

A outra opção, para a instalação do sistema de retenção infantil, é usar o cinto de segurança do veículo. “É uma opção que continua sendo usada, pois o nosso cenário é dominado por veículos sem ISOFIX e por cadeirinhas que não permitem a ancoragem no sistema”, explica Celso Alves Mariano, especialista e diretor do Portal do Trânsito.

Vantagens da ISOFIX sobre o cinto

A Fundação MAPFRE possui um guia que demonstra as vantagens do sistema ISOFIX sobre o cinto. De acordo com o documento, o Isofix facilita consideravelmente a tarefa de instalar o bebê conforto, cadeirinha ou assento, aumentando assim a eficiência do sistema.

Vários estudos mostram que até 80% dos pais e as mães cometem erros quando instalam o equipamento no carro. E o pior, 20% desses erros colocam a vida da criança em risco no caso de acidente.

A instalação do sistema de retenção com o cinto de segurança é um pouco mais complexa do que com o ISOFIX, esse é um dos motivos dos erros cometidos pelos pais na instalação. Para instalar a cadeirinha no cinto do carro, muitas vezes é exigida força, cuidado e muita concentração.

Já com ISOFIX é muito simples encaixar as extensões rígidas da cadeira com a âncora. Algumas cadeirinhas informam, inclusive, que o dispositivo está corretamente instalado porque uma linha verde aparece quando o correto acoplamento ocorre.

Os assentos com ISOFIX geralmente também têm um terceiro ponto de ancoragem, também conhecido como Top Tether. É um cinto próprio que segura a parte de trás do encosto do assento na parte de trás do encosto do banco ou do porta-malas do carro. Estas duas últimas opções variam dependendo do modelo. O objetivo deste terceiro ponto de ancoragem é evitar a rotação da cadeira em caso de impacto.

O mais importante é que a segurança fornecida pelo sistema não se limita apenas à instalação. Com o Isofix, há maior estabilidade em caso de impacto lateral e a rigidez da conexão entre cadeira e chassis permite que, em caso de frenagem, ambas as partes desacelerem quase ao mesmo tempo.