Publicado em 05 de dezembro, 2016 as 08h46.

Jovens são quase metade das vítimas de acidentes em motos

Por Mariana Czerwonka.

Acidentes com jovens
Sábado foi o dia com maior número de registro de mortes entre motociclistas e caronas de moto.

Diagnóstico do Detran/RS apontou que 47% dos motociclistas e caronas de moto vítimas de acidentes nos últimos cinco anos foram jovens de 18 a 29 anos. O levantamento foi realizado para balizar o início das discussões do Grupo de Trabalho para a Segurança de Motociclistas. O GT foi instituído pela Portaria 473/2016, publicada na última terça-feira (29) no Diário Oficial do Estado.

De janeiro de 2010 até outubro de 2016, 3.321 motociclistas e caronas de moto morreram em decorrência de acidentes de trânsito. As vítimas em motos representaram 25% do total de 13.466 mortes no Estado no período.

De 2012 para cá, o número absoluto de motociclistas e caronas de moto entre as vítimas fatais vem caindo. De 600 vítimas em 2010, passou a 594 em 2012 e 434 em 2015. Em 2016, (dados parciais até outubro), foram 355 mortes de motociclistas e caronas mortos, de um total de 1,4 mil mortes no trânsito.

Diagnóstico

Homens representaram 88,9% dos motociclistas e caronas mortos em acidentes. Com relação à faixa etária, 14% das vítimas tinha entre 18 e 20 anos, 16,7% tinha de 21 a 24 anos e 15,9% de 25 a 29 anos, totalizando quase metade das mortes entre os jovens.

O turno da noite concentrou a maioria das vítimas fatais em todos os dias da semana. Sábado foi o dia com maior número de registro de mortes entre motociclistas e caronas de moto, totalizando quase 23% das ocorrências. Mais da metade dos motociclistas e carona de moto (52%) vieram a óbito em acidentes transcorridos nas vias urbanas.

Grupo de Trabalho

O grupo de trabalho será composto por representantes de diversas áreas do Detran/RS, Sindimoto (Sindicato dos Motociclistas do Rio Grande do Sul), Amatra (Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho), Brigada Militar, Comando Rodoviário da BM, Polícia Rodoviária Federal, EPTC, SEST/SENAT (Serviço Social do Transporte/ Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte), Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Ministério Público do Trabalho do RS e Superintendência Regional do Trabalho.

De acordo com a necessidade ou especificidade temática, poderão ser convidados outros órgãos, instituições ou entidades envolvidos, direta ou indiretamente, com o Sistema Estadual de Trânsito e Transporte, bem como demais instituições e organizações que possam contribuir para a qualificação da formação dos condutores, da segurança da frota veicular e da educação para o trânsito.

As informações são do Detran/RS