Publicado em 13 de março, 2017 as 08h41.

As motos são obrigadas a circularem com os faróis acesos o dia inteiro. Você sabe o motivo?

Por Mariana Czerwonka.

Farol ligado nas motocicleta
Apesar de obrigatório, muitos motociclistas não entendem o motivo dessa norma.

De acordo com o Art.244 do Código de Trânsito Brasileiro, condutor de motocicleta, motoneta e ciclomotor que transitar com os faróis do veículo apagado está cometendo uma infração gravíssima com multa de R$ 293,47, passível de recolhimento da CNH e suspensão do direito de dirigir.

Apesar de obrigatório, muitos motociclistas não entendem o motivo dessa norma. De acordo com especialistas, como o veículo é menor e mais ágil, a luz acesa permite a visualização da moto de uma distância maior.

“Transitar com o farol ligado deixa o veículo mais visível para pedestres e demais veículos. É uma questão de segurança”, afirma Celso Alves Mariano, especialista e diretor do Portal do Trânsito.

Como a maioria das motos liga automaticamente os faróis quando é dada a partida do veículo, é difícil encontrar quem infringe a lei.“De qualquer forma, o motociclista deve estar atento ao funcionamento adequado de todo sistema de iluminação do veículo”, explica o especialista.

Além das motocicletas, os veículos de transporte coletivo também devem transitar com os faróis ligados, mesmo durante o dia. “Para os demais veículos, é obrigatório usar a luz baixa, de dia, nos túneis e rodovias”, conclui Mariano.

 

 

  • LuisPeters

    Atualmente há um problema ou conflito com o artigo 250 do CTB, que passou a exigir para todos os veículos o farol baixo aceso durante o dia em rodovias.
    Muitas cidades apresentam uma rede entrelaçada de rodovias e vias municipais, de modo que a tendência será os motoristas usarem o farol aceso durante o dia de modo permanente, em todas as vias, de modo a não serem surpreendidos com multas pelo esquecimento de adentrar alguma rodovia em meio urbano.
    Com isso, instaura-se um prejuízo para os motociclistas, pois o farol das motos acaba se perdendo no emaranhado de farois de carros.
    O que era uma atitude defensiva em trechos rurais de rodovias de pista simples com limite de velocidade igual ou superior a 60 km/h (quando podem diminuir os riscos de ultrapassagem, principalmente), transforma-se em imposição ainda mais forte da presença do automóvel em meio urbano, sobre os demais automobilistas, sobre os motociclistas, ciclistas, pedestres, cadeirantes e demais usuários das vias.
    O artigo 250 merece ser modificado e restrito, para tornar o trânsito melhor para todos.

  • Camponez Frota

    A complexidade da legislação de transito brasileira, com as suas idas e vindas, faz com que os motoristas estejam sempre desinformados sobre as frequentes alterações nas obrigações ao volante. Muitas obrigações já foram fiscalizadas com punições que hoje já não mas tem exigência legal (extintor de incêndio e kit emergência). Agora para não ser pego de surpresa motoristas temerosos procuram andar sempre com os faróis de seus carros, acessos em todas as vias de trânsito, o que põe em dúvida a necessidade dos motociclistas também assim procederem para a sua segurança, já que hoje não se distingue mais o veículo, à distância, pelo farol aceso. Parece-nos que os legisladores perderam-se ao trabalhar para “proteger” as pessoas no trânsito em nosso País.

  • Sergio Gestor de Transito

    Esta é uma infração onde a abordagem seria necessária, o farol pode eatar apagado porque o condutor não o acendeu, isso nos motociclos fabricados até 2003/2004. Vale salientar que após as montadoras adotarem o acendimento junto com a chave do contato, se o fatol nao acender, neste caso, é defeito bo sistema de iluminação previsível no CTB com a retençaão do veículo para sanar a irregularidade.