Publicado em 21 de outubro, 2017 as 07h51.

Mortes no trânsito: idosos são principais vítimas de atropelamento

Pessoas com mais de 60 anos de idade recebem atenção especial nas ações realizadas pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito

Por Agência de Notícias.

Idosos no trânsito
Um terço dos casos registrados em 2017 envolve pessoas com mais de 60 anos de idade. Foto: Pixabay.

Os idosos são as principais vítimas de atropelamentos no trânsito. O dado alarmante é do Infosiga SP. Um terço dos casos registrados em 2017 envolve pessoas com mais de 60 anos de idade.

Justamente por isso, o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa do Governo de São Paulo que visa reduzir o número de óbitos no Estado até 2020, tem como foco um trabalho voltado ao idoso.

“Entre os diversos grupos que são alvos de ações de educação e fiscalização, os idosos recebem especial atenção”, explica a coordenadora do Movimento Paulista, Silvia Lisboa.

“Entendemos que a mobilidade dessas pessoas é diferente das demais e recomendamos aos municípios a adaptação necessária para atendê-los. O aumento do tempo semafórico e campanhas de conscientização específicas são algumas das soluções”, exemplifica.

Assim como ocorreu com os dados gerais de mortes, na comparação com 2016 as fatalidades no trânsito envolvendo idosos também apresentam queda. São 9,1% menos vítimas, passando de 801 para 728 casos (73 óbitos a menos).

No entanto, os dados do Infosiga SP revelam situações específicas em que esse grupo está mais sujeito a acidentes. Os idosos correspondem a 14% da população do Estado e 17,2% das vítimas de acidentes.

Em 2017, 728 pessoas com mais de 60 anos perderam a vida no trânsito. Das 1.193 fatalidades com pedestres, 399 envolveram idosos, o que equivale a 33,4% dos casos no Estado. A maioria das ocorrências acontece em vias municipais (58,2%). Também chama a atenção a proporção de vítimas entre ciclistas. Uma em cada quatro fatalidades com bicicletas (24,8%) envolve idosos.

“A bicicleta é um meio de transporte difundido entre a população com mais idade, apesar dos riscos. Por isso, incentivamos a direção responsável dos demais atores do trânsito, como motoristas e motociclistas. Respeitar o próximo é uma questão de cidadania”, defende Silvia Lisboa.

Dados do Estado

De acordo com o Infosiga SP, o Estado de São Paulo registrou 472 fatalidades no trânsito em setembro, aumento de 5,5% na comparação com o mesmo período de 2016 (446 óbitos). No acumulado do ano, a redução é de 2,3%, com 4.218 fatalidades em 2017 contra 4.313 no ano passado.

Houve redução também no número de acidentes com vítimas, que incluem ocorrências sem fatalidades. Em setembro deste ano, foram registradas 14.787 ocorrências contra 16.268 no ano passado, o que equivale a 1.481 acidentes a menos (-9,1%). No acumulado do ano, a redução é de 6,3%, com 134.946 casos entre janeiro e setembro de 2017 contra 144.084 nos primeiros 9 meses de 2016.

Em setembro, acidentes com motocicletas resultaram em 140 fatalidades, redução de 6% (151 no ano passado). Ocorrências com pedestres registraram alta de 21,9%, com 139 casos (114 em 2016), seguidos por automóveis (116 casos contra 96 no ano passado, aumento de 20,8%) e bicicletas (33 contra 25 em 2016, aumento de 32%).

Jovens com idade entre 18 e 29 anos correspondem a 23,9% das vítimas (113 ocorrências), e os homens representam 80,1% dos casos. Mais da metade dos acidentes fatais no mês aconteceram entre 18h e 06h (54,4%), e os finais de semana concentram 49,6% das ocorrências.

Clique aqui para ver o relatório completo do Infosiga e veja neste link as localidades em que aconteceram os acidentes fatais.

As informações são do Portal do Governo do Estado de SP