Publicado em 17 de maio, 2018 as 08h13.

Itens do funcionamento de seu carro: porque dar atenção a eles na hora de dirigir

Descubra como cuidar do seu automóvel pode evitar problemas

Por Agência de Conteúdo.

Funcionamento do veículo
A inspeção do sistema elétrico deve sempre fazer parte dos seus hábitos. Foto: Pexels.com

Já pensou você lá, no trânsito, com o seu carro seminovo e, de repente, dá um problema e você tem que enfrentar o desconforto de ter que ficar parado no meio da rua com todo o mundo te olhando? Ninguém merece, não é mesmo?

Para evitar esses tipos de situações é preciso conhecer pelo menos um pouco os itens de funcionamento do seu carro e saber como cuidar deles na hora de dirigir.

A seguir, acompanhe uma lista com alguns desses itens e como prestar a devida atenção a cada um deles.

1º – Motor

Para poder ter o máximo de rendimento de um veículo e aumentar a sua vida útil, é preciso zelar pelo bem-estar do motor do carro. O ideal é limpá-lo anualmente ou, no máximo, a cada dois anos. Um motor limpo vai trabalhar melhor e permitir ao condutor que detecte antecipadamente uma fuga ou vazamento.

Na troca do óleo, busque utilizar o recomendado no manual do automóvel. Só tome cuidado para não sobrecarregar o cárter durante a troca, o que pode levar ao sobreaquecimento do motor e resultar em acidentes de viação.

Como algumas tampas de óleo são magnetizadas e levam consigo partículas de metal, também é importante sempre limpá-las bem quando a troca do líquido for realizada.

Prestar atenção aos filtros é outra medida importante para manter a boa qualidade do motor. Seja o filtro do ar, do óleo, do combustível ou outros que o veículo venha a ter, todos têm como tarefa proteger o motor e devem ser substituídos de acordo com as datas do manual do fabricante.

Quem quiser cuidar ainda mais do motor do carro, pode apostar também em válvulas de ventilação, que impedem danos ao motor. Para quem não sabe, a válvula de ventilação é um dispositivo de controle de emissões em veículos mais velhos e é sempre bom que o condutor garanta que o seu carro tenha uma.

E tem, ainda, mais duas dicas importantes. A primeira é apostar na adição de óleos refrigeradores, que além de serem de baixo custo, são de extrema valia para o aumento da vida útil do motor.

A segunda dica é em relação à correia de distribuição. Substituí-la segundo a data que consta no manual do fabricante é algo imprescindível, caso contrário os estragos no motor poderão ser irreparáveis.

2º – Bateria

Se você realmente gosta do seu veículo que está lá na sua garagem, a inspeção do sistema elétrico deve sempre fazer parte dos seus hábitos para que possam ser evitadas surpresas desagradáveis, especialmente no inverno, quando as baixas temperaturas exigem mais energia para o funcionamento dos automóveis.

Para manter a boa qualidade do sistema elétrico do veículo é importante que sejam realizadas revisões periodicamente. Assim, é possível garantir que a bateria dure até cinco anos ou mais.

Ainda que você não utilize o carro sempre, tente ligá-lo diariamente. Caso isso não seja possível, procure desligar os terminais dos cabos das baterias, o que irá evitar que sejam descarregadas precocemente.

Muita gente não sabe disso mas, mesmo parado, o veículo possui vários componentes que continuam consumindo energia, como o rádio, alarmes, rastreadores e a central de injeção, por exemplo.

Outra dica é não ligar o carro com o farol ligado, o que puxa bastante carga da bateria e diminui a sua vida útil. No caso dos rádios, retire a frente destacável (para os modelos que a possuem) quando sair do veículo, pois isso também ajuda a evitar o desgaste da bateria.

A cada cinco ou seis meses, busque realizar um teste do alternador. Uma vez acionado pelo motor através de uma correia, o componente transforma energia mecânica em elétrica, o que é necessário para carregar a bateria e alimentar os componentes elétricos do veículo.

Caso o alternador apresente problemas, o carro passa a depender única e exclusivamente da bateria, sobrecarregando-a e descarregando-a por inteiro em poucas horas.

Também contribui para o bom funcionamento das baterias ficar de olho no nível da água. O ideal é que não esteja nunca muito alto nem muito baixo.

Caso aconteça da bateria acabar e haver a necessidade de se fazer uma ligação direta entre a bateria arriada e uma auxiliar (a chamada chupeta), é preciso tomar cuidado para não inverter os polos negativos e positivos, pois aí o problema será maior, já que isso trará sérios problemas ao alternador.

Por último, mas não menos importante, vai uma dica que muita gente já deve saber, mas ainda assim tem resistência em seguir. Não deixe componente como faróis, rádio e luzes internas ligados quando o motor não estiver funcionando! Acredite, isso é extremamente importante para garantir uma vida útil longa à bateria do seu veículo.

3º – Faróis e lanternas

Para que não percam a eficiência, é essencial manter os faróis e lanternas limpos. É uma dica óbvia, mas que muitos motoristas nem levam em consideração. Então, da próxima vez que você sair de uma estrada de terra com o seu automóvel, já sabe: não se esqueça de fazer a limpeza das lanternas e dos faróis para manter a eficiência dos mesmos.

Outra dica vai para a regulagem dos faróis. Com o tempo, a vibração de carros populares faz com que eles fiquem desregulados, especialmente no caso de modelos mais velhos.

Como ninguém quer que o farol do carro ilumine o chão ou cegue as pessoas que vêm de encontro a ele, é bom sempre fazer aquela regulagem em um centro automotivo. O custo geralmente é bem em conta.

4º – Freios

Para garantir a segurança de todos a bordo, busque verificar periodicamente os freios de acordo com a recomendação do manual de manutenção do seu veículo. Normalmente, nesses manuais, são exigidas inspeções no conjunto de frenagem a cada dez mil quilômetros rodados.

O objetivo dessa verificação é checar o estado geral dos componentes, já que são peças que naturalmente se desgastam com o uso.

Procure estar atento também ao fluido de freio, pois é ele o responsável por fazer o acionamento do sistema de frenagem. O prazo de troca e a especificação do tipo do fluido também podem ser encontrados nos manuais dos automóveis.

Caso o líquido esteja abaixo do nível indicado ou esteja vencido, a eficiência do sistema de frenagem pode ser seriamente comprometida.

E, em hipótese alguma altere as configurações do freio, viu. Isso pode interferir na eficiência do mesmo.

5º – Sistema de Arrefecimento

Limpezas nesse sistema devem ser realizadas a cada trinta mil quilômetros rodados. As peças que devem ser limpas são o reservatório de expansão e o radiador. O aditivo do radiador também deve ser trocado a cada trinta mil quilômetros.

E aí, curtiu o post? Então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais!

As informações são de Agência de Conteúdo