Publicado em 11 de maio, 2015 as 09h35.

Portal dá dicas para quem quer passar no exame prático de CNH

Por Mariana Czerwonka.

Exame prático de CNHA fase na qual aprendemos a dirigir é considerada uma das mais importantes da vida, afinal, dirigir nos abre as portas para uma ampla gama de novas possibilidades: liberdade, mobilidade, opções de trabalho e lazer, status e muito mais. Porém, essa etapa da vida exige muita responsabilidade e preparo para enfrentar o trânsito.

“Tão importante quanto conhecer as leis de trânsito e ter a habilidade para dirigir, ser um bom condutor significa ser um condutor responsável. Precisamos tornar o trânsito brasileiro mais humano e mais seguro, e isso é uma responsabilidade de todos”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal.

Segundo o especialista, um começo de atitude responsável pode ser, por exemplo, optar por estudar para a vida, e não simplesmente para passar na prova do Detran.  “E é aí é que muitos cometem um grande erro, acabam aprendendo apenas o suficiente para serem aprovados e não com o objetivo de se capacitarem para enfrentar um dos trânsitos mais perigosos do mundo e serem condutores responsáveis por seus atos”, diz.

Para assumir essa condição é preciso entender que dirigir, apesar de ser uma atividade muito útil e prazerosa, também pode tornar-se a fonte de muitos problemas e aborrecimentos, afinal, o trânsito brasileiro tornou-se um ambiente muito inseguro. E demonstrar todo esse conhecimento e tranquilidade na hora da avaliação não é uma tarefa fácil.

De acordo com dados do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), em 2014, 53,86% das pessoas que tentaram tirar a carteira na categoria B (automóvel, caminhonete, camioneta, utilitário) e 35,15% na categoria A (motocicleta, ciclomotor, motoneta ou triciclo) no Estado acabaram reprovando.

Para a especialista Márcia Pontes uma das principais dificuldades dos candidatos à primeira habilitação é a ansiedade, a insegurança e o nervosismo. “Só que muitas vezes esse conjunto de sintomas é provocado por um tipo de ensino que não conseguiu provocar uma aprendizagem significativa. Por exemplo, muitos candidatos vão para o teste sem saber pisar nos pedais, sem conhecer e dominar as combinações de pedais, sem tê-los explorado um a um em suas diferentes graduações de pisada para o controle do carro. Vão para a baliza se orientando por pontos de referência que mais confundem do que ajudam”, explica Pontes.

Ainda de acordo com a especialista, os principais erros cometidos durante a prova prática são: não dar seta para sinalizar a manobra (3 pontos), deixar o carro morrer após o início da prova (2 pontos), baliza (eliminatório), engrenar as marchas de forma incorreta (2 pontos), não observar regras de ultrapassagem e de mudança de direção (3 pontos), invadir a preferencial durante o percurso (eliminatória).

Para ajudar você o Portal do Trânsito consultou os especialistas, Celso Mariano e Márcia Pontes, e separou algumas dicas para quem vai enfrentar essa etapa.

Dicas para ir bem

– Durma cedo na noite anterior para estar com os reflexos “em dia”.

– Afaste os pensamentos destrutivos e sabotadores que negativam sua autoestima: pense positivo!

– Antes do exame, dê uma volta (se possível com o veículo de sua autoescola) pela região onde será feita a prova.

– Use roupas e sapatos confortáveis.

– Crie um roteiro com o que você deve fazer assim que entrar no carro: posicionar os espelhos, arrumar o banco e colocar o cinto de segurança.

– Seja um dos primeiros: isso vai ajudá-lo a não se contaminar com os resultados negativos dos outros.

– Não faça comparações: cada um aprendeu à sua maneira; fizeram ou não mais aulas, tiveram um instrutor mais paciente e que explica de forma que facilita o entendimento, outros não.

– Ser aprovado de primeira não é o objetivo e isso não faz de ninguém um motorista melhor que os outros: isso chama-se treino de fundamentos básicos.

– Não sinta-se o único culpado pela sua reprovação: o sistema de formação de condutores têm vários outros atores, cada qual com suas responsabilidades. O modo como o instrutor ensina e acalma o candidato também faz toda a diferença.

– Faça exercícios de respiração e relaxamento: isso vai ajudar a ficar mais calmo, menos tenso, menos preocupado.

– O examinador não é um bicho de 7 cabeças: ele apenas quer ver como você vai dirigir com segurança depois de habilitado.