Publicado em 20 de setembro, 2018 as 08h07.

Campanha “O barato sai caro” alerta população na escolha por uma autoescola

“Dirigir é coisa séria, o barato pode sair muito caro”, diz presidente do sindicato

Por Assessoria de Imprensa.

Campanha dos CFCs
Antes de contratar o serviço é importante saber a logística do processo de formação, desde abertura do processo, a avaliação médica e psicológica, além das aulas no simulador, as aulas teóricas e práticas, finalizando com os exames no Detran. Foto: Marcelo Nivaldo Jr.

O Sindicato dos Centros de Formação de Condutores de Alagoas (SindCFC/AL) lança, na Semana Nacional do Trânsito, a campanha “O barato sai caro”. A ação vem para orientar a população sobre os critérios na escolha de uma autoescola. A iniciativa visa evitar prejuízo as pessoas que adquirirem os serviços de um Centro de Formação.

A entidade defende o papel dos Centros de Formação de Condutores em servir aos alunos de forma satisfatória e com alta qualidade, garantindo uma boa formação para os futuros condutores, contribuindo para um trânsito melhor.

Para João Batista Neto, presidente do SindCFC Alagoas, a CNH é um documento que deve ser retirado com responsabilidade.

“Assim como em todas as decisões importantes que trazem impactos em nossas vidas, o processo de aprendizado no trânsito e a escolha de um CFC deve ser encarado com seriedade”.

Algumas dicas para a escolha de um CFC devem ser seguidas: o futuro condutor deve verificar o preço cobrado pelo serviço, os profissionais que ensinam, os veículos e a estrutura física da empresa. Outro ponto a ser considerado é a indicação de pessoas que finalizaram o processo de habilitação no CFC.

O SindCFC Alagoas alerta aos consumidores que ao contratar o serviço para retirar a CNH, deve-se também observar o credenciamento da empresa junto ao DETRAN, buscar informações nos órgãos de controle, nos órgãos de defesa do consumidor e nas redes sociais. Deste modo, o preço não é o único quesito a ser analisado, mas a qualidade e a procedência da autoescola.

Na condição de representante do setor, João Batista, se sente responsável em alertar a população sobre o preço cobrado por algumas empresas do segmento, já que pode causar prejuízo aos alunos. “Me sinto responsável em fazer esse importante alerta a população, pois muitas pessoas já foram prejudicadas com o fechamento de autoescolas que cobravam abaixo do valor, já que não tinham como sustentar os custos do serviço. Por isso, lembre, dirigir é coisa séria, o barato pode sair muito caro”, alertou o presidente.

Vale lembrar que um estudo custeado pelo sindicato, em parceria como o Sebrae/AL, em 2015, calculou que o preço da habilitação, em uma única categoria, deveria ser entre R$ 1.228 e R$ 1.860. O Detran/AL publicou, também em 2015, a portaria nº 1982/15, que norteia o preço a ser cobrado pela prestação do serviço.

Antes de contratar o serviço é importante saber a logística do processo de formação, desde abertura do processo, a avaliação médica e psicológica, além das aulas no simulador, as aulas teóricas e práticas, finalizando com os exames no Detran. Lembrando que o candidato tem o prazo de 12 meses para finalizar todo o processo.

As informações são da Assessoria de Imprensa