Publicado em 10 de fevereiro, 2016 as 06h20.

Estudo mostra que aumentou o número de carros com ESP

Por Mariana Czerwonka.

ESP
Por meio de sensores, o ESP, identifica quando há perda de tração nas rodas e atua junto com os freios para manter o veículo na trajetória original.

Segundo o estudo do CESVI Brasil, o número de versões de modelos à venda no Brasil equipadas com controle de estabilidade de série aumentou 22,3% em 2015

Embora ainda não seja um item obrigatório, o controle de estabilidade está se tornando cada vez mais comum nos veículos brasileiros. Um levantamento feito pelo Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária) apontou que em 2015 houve um aumento de 22,3% nos carros à venda no mercado brasileiro equipadas de série com o sistema de segurança.

Por meio de sensores, o ESP (do alemão Elektronisches Stabilitätsprogramm) e ESC (do inglês Electronic Stability Control), identifica quando há perda de tração nas rodas e atua junto com os freios para manter o veículo na trajetória original, evitando assim derrapagens em curvas ou pisos com baixa aderência.

O estudo do CESVI foi feito com 917 versões de 299 modelos de veículos nacionais e importados à venda no País. Desse total, o equipamento figurava entre os itens de série em 549 versões, sendo que, em 2014, eram apenas 499 versões. Considerando somente modelos fabricados no Brasil e na América do Sul, o crescimento é ainda maior: 49,4% em 2015 quando comparado com o ano anterior. Já entre os carros importados, houve uma alta de 19,9% na oferta do item de fábrica nesse mesmo período.

A pesquisa detectou ainda que, no segmento de hatches compactos, somente 18,5% das versões têm ESP de série e 81,5% não oferecem o item nem como opcional. Subindo apenas um degrau, nos hatches médios já são 82,5% das versões com controle de estabilidade de série. Os sedãs compactos têm 12% das versões analisadas com ESP, enquanto os sedans médios têm 67% das versões com o equipamento de fábrica.

Ainda conforme o estudo, 89% das versões das picapes compactas não trazem o item. Por outro lado, o segmento que mais possui esse item é o dos esportivos, com 81% das versões já saindo das fábricas com o sistema. O destaque, contudo, está nos sedãs de luxo, com incríveis 100% equipados com o dispositivo de segurança em 2015.

Obrigatoriedade

A Resolução 567/15 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) determina que o controle eletrônico de estabilidade deverá equipar os modelos novos feitos a partir de 2020 e todos os veículos comercializados no País até 2022. O sistema já é obrigatório na Europa desde 2011.