Publicado em 01 de julho, 2015 as 16h48.

Estatísticas mostram que mulheres dirigem melhor do que os homens

Por Talita Inaba.

Mulheres no trânsitoSabe aquelas famosas frases, “mulher no trânsito, perigo constante”, “mulher e trânsito não combinam”, “tinha que ser mulher”? Pois é, as mulheres sempre foram vítimas de preconceito no trânsito, isso porque ao longo do tempo dirigir um veículo sempre foi uma tarefa associada à figura masculina, inclusive desde pequenos os homens são incentivados a brincar com carros e jogar games de corridas. A mulher, em contrapartida, carregava a missão de cuidar dos filhos e da casa, no entanto, ao longo do tempo ela tem ganhado mais espaço não só no mercado de trabalho, mas também no trânsito.

Segundo dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em 2014, dos mais de 60 milhões de motoristas no Brasil, quase 20 milhões são do sexo feminino e, 71% dos acidentes são provocados pelos homens e apenas 11% pelas mulheres, sem contar que 70% das multas são para motoristas do sexo masculino.

O Ministério da Saúde aponta que o número de homens que morreram no trânsito, em 2010, é quase quatro vezes maior do que o de mulheres. Considerando os que perderam a vida no trânsito naquele ano, 31.675 eram homens (78%) e 8.935 eram mulheres (22%).

Um estudo britânico monitorou 50 motoristas dentro do carro e mais 200 pelo lado de fora, em Londres e, de acordo com a avaliação da pesquisa, ao final, as mulheres fizeram 23,6 pontos de um total de 30. Os homens marcaram apenas 19,8.

Dados do Departamento Britânico de Transportes indicam que em 2012 os homens estiveram envolvidos em 114.190 acidentes e as mulheres 70.470.

Segundo dados do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), apesar de representarem mais de 30% dos motoristas em circulação no Brasil, das 763 mil vítimas de trânsito indenizadas em 2014, 75% eram homens e 25% mulheres.

No Brasil, uma pesquisa realizada pelo Departamento de Trânsito do Distrito Federal, em 2012, apontou que para cada grupo de 10 mil mulheres, apenas 1,31 teve registro em acidentes fatais, em 2011. Ainda, de acordo com o Detran-DF, em 2012, as mulheres representavam 37,3% dos habilitados e 6,5% dos condutores envolvidos em acidentes com mortes.

Logo, as diversas pesquisas mostram um cenário diferente, pois apesar do preconceito ainda enraizado na cultura brasileira, as mulheres mostram que são mais cautelosas e provocam menos acidentes.

  • Pingback: Não seja uma menininha! – (Em) Foco()

  • Gilberto Rodrigues

    Esqueceram que é uns 80% dos motoristas são homens, como seria possível mulheres receber mais multas que homens e sofrerem mais acidente.

    • Marina

      Moço, a matéria diz que são 62,7 e não 80%, você não leu?
      Se as mulheres são 37,3% dos habilitados então a cada 100 motoristas 37,3 são mulheres e 62,7 são homens. Se as mulheres representam 6,5% dos condutores envolvidos em acidentes com mortes, então a cada 100 acidentes as mulheres são responsáveis por 6,5 deles restando os outros 93,5 para os homens (que por sua vez, não se esqueça, representam 62,7% dos condutores). Sendo assim, a taxa de acidentes por gênero a partir dos dados do ano de 2012 é:
      Mulheres = 6,5 acidentes / 37,3 mulheres condutoras = 0,17
      Homens = 93,5 acidentes / 62,7 homens condutores = 1,49
      0,149/0,17 = 8,7
      Tradução: homens cometem 9 vezes mais acidentes sendo 1,68 vezes maior que a população de mulheres que dirigem.

      • Gilberto Rodrigues

        Minha cara esses números é referente a pessoas habilitada, mulheres que dirige em sua maioria é ir na vizinha pra por a fofoca em dia , já dirigir em rodovias no dia a dia é mais homens e mesmo assim sendo poucas mulheres já atrapalha o trânsito, como você diz mulher sofre menos acidente, mas na velocidade que vejo seguido seria um absurdo ainda se acidentar , só se alguém de carreta passa por cima.

        • Marina

          Eu sempre soube que não é possível explicar muita coisa pra gente obtusa e ainda por cima preconceituosa, mas você superou minhas expectativas.

          Primeiramente aprenda a escrever com o mínimo de clareza, seu analfabeto funcional. Tirar um carro do lugar qualquer retardado tira, quero ver entender o mínimo necessário sobre direção defensiva, regras de circulação, legislação de trânsito, primeiros socorros etc, coisas que um ruminante como você não deve saber e é justamente por causa de gente do seu tipo que o índice de mortes no trânsito ainda é tão alto.

          Espero que esse pentelho da foto, que parece ser o seu filho, não venha futuramente a ser tão retardado quanto o pai.