Publicado em 21 de fevereiro, 2018 as 16h16.

Dados preliminares apontam queda no número de mortes por acidentes no Brasil em 2016

Por Mariana Czerwonka.

mortes no Brasil
Segundo o Ministério da Saúde, os números serão revisados novamente, antes de serem consolidados. Foto: Pixabay.com

O Ministério da Saúde apresentou os dados preliminares de 2016 de mortalidade no trânsito no país, disponíveis nesse link. De acordo com esses números, em 2016 aconteceram 34.850 óbitos nas vias brasileiras. Isso representa uma redução de 19,4% no número de óbitos no trânsito em relação ao ano de 2011, início da Década de Ações pela Segurança Viária 2011-2020.

Conforme os dados oficiais divulgados pelo Ministério da Saúde em 2015, 38.651 pessoas morreram no trânsito brasileiro e em 2014 foram registradas 43.780 mortes. Se os dados preliminares forem confirmados, houve uma redução de quase 10% no número de mortes de 2016 em relação a 2015.

Para o especialista Celso Alves Mariano, diretor do Portal do Trânsito e da Tecnodata Educacional, a redução é significativa. “Temos que comemorar a redução, porém brasileiros continuam perdendo a vida no trânsito, e isso é motivo de preocupação”, avalia Mariano.

Desde 2011 os dados ora caem, ora aumentam. De 2011 para 2012, houve um aumento de 3,6% no país (43.256 para 44.812). Já em 2013 a redução foi de 5,6% (42.266). Em 2014 os dados voltaram a subir, foram 43.780 mortes, ou seja, um aumento de 3,58%. O especialista diz que agora parece que há uma tendência de queda, isso se for levado em consideração apenas os últimos dois anos.

“O dado é o mais confiável que temos, então vamos acreditar que seja mesmo um reflexo de várias ações significativas que ocorreram durante a Década”, diz o especialista.

Segundo o Ministério da Saúde, os números serão revisados novamente, antes de serem consolidados, e pode ser que ainda sofram alterações.

Outras fontes

Os números mostrados pela Seguradora Líder, que administra o DPVAT, não mostra um cenário tão animador. Apesar de uma diminuição no número total de indenizações pagas (por morte, invalidez permanente e despesas médicas), o número de indenizações pagas para vítimas fatais no trânsito brasileiro cresceu 23% em 2017. O dado é fruto do Relatório Anual da Seguradora Líder, que indica um retrato da violência no trânsito em todo o país durante o último ano.

“Eu tenho sempre algumas dúvidas, os números são menores por que realmente as pessoas estão se comportando melhor? Por que houve uma fiscalização mais efetiva? Por que os problemas de infraestrutura estão sendo sanados? Enfim, por que temos um ambiente mais seguro? Ou por que os números ainda não estão completos ou a nossa incompetência em medir o tamanho desse problema é tão grande que os números não estão nos dizendo o que está acontecendo? As informações não batem, o que nos faz acreditar muito mais na última opção, infelizmente”, conclui Mariano.