Publicado em 01 de dezembro, 2018 as 08h15.

Contran define cronograma para implementação das placas Mercosul de acordo com cada Detran

Cada Detran tem um prazo específico, Mas todos deverão ter adotado o novo padrão até 31 de dezembro

Por Mariana Czerwonka.

Placa Mercosul
Mais de 154 mil veículos já foram emplacados de acordo com o novo sistema. Foto: Arquivo Portal do Trânsito.

Conselho Nacional de Trânsito (Contran) anunciou ontem (30) depois de reunião entre os seus conselheiros, que as placas padrão Mercosul começarão a valer em dezembro, mas não a partir do dia 1º, como dizia o prazo anterior (Res.729/18). Não se sabe ainda se essa decisão sairá através de nova Resolução. O que se sabe é que agora, cada estado terá um prazo especifico.

Veja os prazos definidos: 
  • Rio de Janeiro (já implementou) – até 3 dezembro.
  • Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Pernambuco e Rondônia – até 10 de dezembro.
  • Bahia, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul – até 17 de dezembro.
  • Acre, Alagoas, Maranhão, Paraná e Piauí – até 24 de dezembro.
  • Amapá, Ceará, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Geras, Pará, Paraíba, Roraima, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins – 31 de dezembro.

Muitos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) fizeram a solicitação de adiamento do prazo ao Departamento Nacionald de Trânsito (Denatran) pela dificuldade no credenciamento de estampadores. De acordo com a assessoria de imprensa do Detran/RS, por exemplo, o pedido foi uma demonstração de preocupação em relação ao atendimento da população gaúcha. “Ainda temos poucas empresas credenciadas junto ao Denatran para atender todo o estado. Além disso, os estampadores estão relatando dificuldades nesse processo de credenciamento”, diz a assessoria.

O que se sabe sobre a placa Mercosul

Entre muitas idas e vindas, a placa Mercosul está em vigor e até o dia 31 de dezembro, segundo o Contran, deve ser implementada em todo Brasil.

A troca da placa será obrigatória apenas nas transferências (de município) de veículos usados e na compra de novos.

A placa terá itens de segurança que permitirão a rastreabilidade dos carros por meio de QR code e chip (numa próxima etapa), impedindo também a clonagem.

Apesar de tudo isso, conforme o Denatran, a nova placa terá um valor menor que a antiga, que hoje custa entre R$ 150 e R$ 200 o par de placas.

Necessidade

Um dos motivos para a implantação do novo modelo da placa é a proximidade do fim da combinação alfanumérica das placas atuais. Se a placa mantivesse a atual combinação (três letras e quatro números), nos próximos anos, não existiram mais novas sequências para contemplar toda a frota do país.

Novo modelo

Além do QR Code, que informa os dados de fabricação da placa, outro item de segurança aplicado à nova peça é a marca d´água, que evita a falsificação e praticamente impossibilita a clonagem. Os novos itens inseridos na placa auxiliarão o trabalho das polícias nas fiscalizações e fraudes.

O modelo da placa Mercosul é bem diferente, onde cada item possui uma característica e representação.  A primeira mudança que se pode notar é a visual. Ao contrário da placa hoje existente na cor cinza, as novas peças terão fundo branco com uma faixa azul na parte superior. O novo modelo possui quatro letras e três números.

Do lado esquerdo, na parte superior, está impresso o logotipo do Mercosul e logo abaixo, o QR Code. A placa ainda possui o distintivo BR e, no lado direito, a bandeira do país.

A categoria dos veículos será indicada pela cor da combinação alfanumérica: particular (preta), comercial/aprendizagem (vermelha), oficial (azul), especial (verde), diplomático (amarela) e colecionador (prateada). O tamanho continua o mesmo com 40 cm de largura e 13 de altura.

O Brasil é o terceiro país do Mercosul a adotar a placa. Uruguai (2015) e Argentina (2016) foram os dois primeiros.

 

No tópico: Legislação