Publicado em 24 de novembro, 2017 as 13h53.

Atropelamentos e colisões são responsáveis por 66% das mortes no trânsito de SP

Dados do Infosiga SP reforçam a necessidade de adequação das vias para evitar o conflito entre os diversos meios de transporte

Por Assessoria de Imprensa.

Trânsito de São Paulo
Em outubro, o número de mortes no trânsito registrou aumento de 3,4% em São Paulo. Foto: Pixabay.com

Levantamento feito pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa do Governo de São Paulo que visa reduzir pela metade o número de óbitos no Estado, mostra que 66% das fatalidades no trânsito envolvem colisões entre veículos e atropelamentos. O dado indica que um dos desafios para o trânsito é promover a convivência segura entre os diferentes modais presentes em ruas e estradas. Em outubro, o número de mortes no trânsito registrou aumento de 3,4%. No acumulado do ano, a redução é de 1,7% na comparação com 2016.

“Principalmente nas grandes cidades, a convivência pacífica entre pedestres, ciclistas, motociclistas e motoristas precisa ser um dos focos de trabalho dos gestores de trânsito”, afirma a coordenadora do Movimento Paulista, Silvia Lisboa. “Os números mais uma vez comprovam que os grupos mais frágeis acabam sendo os mais afetados: pedestres e ciclistas”, acrescenta.

De acordo com o Infosiga SP, 98,7% das vítimas desses dois grupos foram atropeladas ou atingidas por outros veículos após um choque. No caso dos ciclistas, 73,8% dos óbitos ocorreram por colisão contra carros, motos, ônibus ou caminhões. Dentre as motos, as colisões correspondem a 56% das fatalidades. Já entre os automóveis, a proporção é 52,8%.

“Infelizmente, o trânsito hoje é marcado por uma intensa disputa, não o compartilhamento do espaço, que deveria ser democrático”, analisa Silvia Lisboa. “O investimento em sinalização e reorganização das vias é o caminho para evitarmos tragédias. Muitas dessas melhorias são simples, por isso é necessário realizar estudos e buscar conhecimento técnico para intervenções eficazes”.

Uma das frentes de trabalho do Movimento Paulista é a troca de experiências e a capacitação de gestores de trânsito. Nesta terça-feira, 21, a adequação de ruas e cruzamentos é tema de treinamento com especialistas de renome internacional realizado no Palácio dos Bandeirantes, que reúne secretários e equipes de mobilidade de municípios conveniados ao programa. Atualmente, 67 cidades mantêm parceria com o Movimento Paulista para a realização de ações e intervenções que evitem acidentes.

Três especialistas responsáveis por projetos em mais de 40 países compartilharam soluções para acomodar os diversos meios de transportes e tornar as ruas mais seguras. O evento marca também o lançamento, em janeiro de 2018, da versão em português do Guia Global de Desenho de Ruas, material de referência para gestores de trânsito em todo o mundo. A tradução é fruto de iniciativa conjunta do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, Banco Itaú e Iniciativa Bloomberg. (Acesse aqui a versão em inglês).

Dados de outubro

De acordo com o Infosiga SP, o Estado de São Paulo registrou 490 fatalidades no trânsito em outubro, aumento de 3,4% na comparação com o mesmo período de 2016 (474 óbitos). No acumulado do ano, a redução é de 1,7%, com 4.708 fatalidades em 2017 contra 4.787 no ano passado.

Já o número de acidentes com vítimas, que incluem ocorrências sem fatalidades, segue em queda. Em outubro deste ano, foram registradas 14.943 ocorrências contra 17.250 no ano passado, o que equivale a 2.307 acidentes a menos (-13,4%). No acumulado do ano, a redução é de 7,1%, com 149.889 casos entre janeiro e outubro de 2017 contra 161.334 nos primeiros dez meses de 2016.

Em outubro, motociclistas lideram as estatísticas no Estado e correspondem a 33,2% das vítimas (163 fatalidades), seguido por pedestres (28,1%), ocupantes de automóveis (25,9%) e ciclistas (4,7%). A maior parte dos acidentes está concentrada nas noites e madrugadas (52,6%) e nos finais de semana (39,1%). Jovens com idade entre 18 e 29 anos correspondem a 26,9% das vítimas (132 ocorrências), e os homens representam 81,8% dos casos.

Sobre o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito

Programa do Governo do Estado de São Paulo, tem como principal objetivo reduzir pela metade os óbitos no trânsito no Estado até 2020. Inspirado na “Década de Ação pela Segurança no Trânsito”, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o período de 2011 a 2020, o comitê gestor do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito é coordenado pela Secretaria de Governo e composto por mais nove secretarias de Estado: Casa Civil, Segurança Pública, Logística e Transportes, Saúde, Direitos da Pessoa com Deficiência, Educação, Transportes Metropolitanos, Planejamento e Gestão, Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação.  As secretarias são responsáveis por construir um conjunto de políticas públicas para redução de vítimas de acidentes de trânsito no Estado.

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito envolve também a sociedade civil, com o apoio de empresas – Abraciclo, Ambev, Arteris, Banco Itaú, CNseg, ProSimulador e Raízen – e do Centro de Liderança Pública (CLP).

As informações são do Portal do Governo de SP

No tópico: Estatísticas