Publicado em 06 de julho, 2015 as 16h48.

As cinco multas de trânsito mais caras para o condutor

Por Talita Inaba.

Desde o dia 1º de novembro de 2014, algumas infrações e crimes de trânsito ficaram mais rígidos. O Portal listou as multas mais caras para o motorista segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Dirigir sob efeito de álcool ou outra substância psicoativa ou que gere dependência

Valor da multa: R$ 1.915,40

Infração: Gravíssima (7 pontos na CNH)

Penalidade: Multa, recolhimento da CNH, retenção do veículo e suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Em dezembro de 2012 foi sancionada a Lei nº 12.760. Essa lei alterou algumas regras da chamada Lei Seca. A primeira alteração foi o aumento do valor da multa que passou de R$ 957,70 para R$ 1.915,40 e, caso o condutor volte a ser flagrado dirigindo alcoolizado dentro de um ano, a multa é de R$ 3.830,80. A segunda alteração, segundo a Resolução nº 432 de 23 de janeiro de 2013 é de que não é admitida a presença de nenhuma quantidade de álcool no sangue e, a terceira mudança na Lei Seca permite que a embriaguez ao volante seja constatada também por vídeos e fotos, por testemunhas e pelo policial.

Forçar passagem entre veículos que estejam ultrapassando

Valor da multa: R$ 1.915,40

Infração: Gravíssima (7 pontos na CNH)

Penalidade: Multa e suspensão do direito de dirigir

Promover ou participar de competição não autorizada, exibição, demonstração de perícia

Valor da multa: R$ 1.915,40

Infração: Gravíssima (7 pontos na CNH)

Penalidade: Multa, recolhimento da CNH, apreensão e remoção do veículo e suspensão do direito de dirigir.

Disputar corrida (competição ou rivalidade) em vias públicas

Valor da multa: R$ 1.915,40

Infração: Gravíssima (7 pontos na CNH)

Penalidade: multa, suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo.

Efetuar manobras perigosas, arrancadas, derrapagens ou frenagens em vias públicas

Valor da multa: R$ 1.915,40

Infração: Gravíssima (7 pontos na CNH)

Alguns resultados

Segundo dados da Superintendência Regional da Polícia Rodoviária Federal, as rodovias federais no estado do Rio Grande do Norte não registraram queda significativa no número de acidentes, pois em 2012, 5% dos acidentes foram comprovadamente causados por motoristas que consumiram bebida alcoólica, enquanto em 2013 esse número caiu para 4,75% do total.

Já de acordo com a Polícia Rodoviária Federal no Ceará, o número de colisões frontais caiu 56% nos dois primeiros meses de 2015, dado o aumento do valor da multa para ultrapassagens irregulares.

No tópico: Curiosidade