Publicado em 22 de janeiro, 2016 as 14h02.

Capacitação: o professor no papel do aluno

O post dessa semana da série “O trânsito na sala de aula” mostra técnicas usadas em cursos de formação de professores que podem ser usadas na sala de aula

Por Mariana Czerwonka.

Eliane Pietsak*

Capacitação de professores
O trânsito é um excelente tema para aplicação de dinâmicas de grupo.

No post da semana passada escrevi como deve ser a Educação para o Trânsito nas escolas sob a perspectiva do Código de Trânsito. Escrevi ainda sobre as dificuldades que temos em trabalhar com o tema e ainda, de que forma pode acontecer a inserção do tema em nosso dia a dia da sala de aula.

Nas próximas semanas vou compartilhar algumas experiências de atividades que são aplicadas em cursos de Formação de Professores dos quais participei e que podem facilmente ser aplicados em sala de aula.

O simples ato de se sentar em uma cadeira e participar como ouvinte de um curso já faz com que nos apropriemos de outro papel: o de alunos. Não qualquer aluno e sim aquele que se envolve o tempo todo em conversas paralelas, que se levanta frequentemente, troca bilhetinhos com os colegas…. É divertido observar. Nos transformamos naquilo que mais criticamos em alguns de nossos alunos.

Pergunto: será que são os assuntos que nos cansam ou a forma como são apresentados que nos entediam? Fico com a segunda alternativa como a de maior peso.

Seguindo esta linha de raciocínio, sempre que vou trabalhar com capacitação, penso no que me desagrada nas palestras e cursos de que participo, o que gosto ou não e procuro fazer de forma diferente. Fazer algo que prenda a atenção e entusiasme os participantes. Desta forma, sempre que possível e em alguns casos até onde o espaço físico é bastante restrito, incluo atividades que envolvam movimento e aí entram as dinâmicas de grupo.

O trânsito é um excelente tema para aplicação de dinâmicas de grupo. As possibilidades de trabalho nos cursos de formação ou com alunos em sala de aula são bastante variadas. O que considero muito importante e diria até essencial é fazer com que as crianças, os jovens ou os adultos abandonem sua zona de conforto, pois, estar sentado, escrevendo ou simplesmente como ouvinte nos desobriga de dar nossa opinião. O movimento favorece a expressão, o posicionamento frente a algo novo assim como nos permite momentos de descontração e prazer. Ao finalizar a aplicação de uma dinâmica de grupo, é fundamental que a discussão aconteça e as impressões de cada um sejam ouvidas, sua percepção e as conexões com o tema proposto.

É importante reafirmar que a cultura da prevenção e a percepção de risco, em qualquer área é possível ser trabalhada de forma atrativa, divertida e dinâmica, sem ter que exigir dos alunos que fiquem sentados ouvindo o professor falar sem participar: este formato não tem mais espaço em nossas escolas e diria até, em nossas vidas.

O tema trânsito tem uma grande influência em nosso cotidiano, dependemos dele para nossa sobrevivência e a grande maioria dos nossos alunos tem um fascínio muito grande por tudo que diz respeito ao tema; podemos e devemos aproveitar isso a nosso favor, romper barreiras, inovar!

Para pensarmos um pouco: se não gostamos de ficar sentados o tempo todo ouvindo, imaginem os nossos alunos que tem todas as informações, boas e ruins a um clique de distância? E, no que diz respeito ao trânsito, nossos alunos tem muito interesse: podemos e devemos aproveitar essa energia.

Bom trabalho! Boa semana!

* Eliane Pietsak é pedagoga, especialista em trânsito, e atualmente é colaboradora da Tecnodata Educacional.