Publicado em 13 de janeiro, 2016 as 06h24.

A educação para o trânsito na visão do professor

A série “O trânsito na sala de aula”, de autoria da pedagoga Eliane Pietsak, tem como objetivo aproximar o professor da educação para o trânsito

Por Mariana Czerwonka.

Professores participam de capacitação sobre educação para o trânsito.
Professores participam de capacitação sobre educação para o trânsito.

A Educação para o Trânsito deve acontecer de forma interdisciplinar, desde a Educação Infantil até o Ensino Superior, é o que determina o atual Código de Trânsito Brasileiro.

Em minha caminhada de quase 20 anos pela Educação, atuei em sala de aula e como professora de Educação Física desde a Educação Infantil até o Ensino Médio. Tive oportunidade também de dar uma “passadinha” pela Coordenação e no Ensino Superior.

Hoje, como pedagoga, especialista em trânsito, tenho a oportunidade de ministrar cursos de capacitação em Educação de Trânsito a professores de diversos níveis de ensino, em diferentes locais do País, com o grande desafio de desmistificar o tema e instrumentalizar os professores para a inclusão do tema trânsito de forma interdisciplinar em seu dia a dia.

No início da capacitação há muita relutância por parte dos professores. Aos poucos vão se sentindo mais à vontade e a disposição muda sensivelmente quando conhecem as ferramentas e os recursos disponibilizados. Percebem que não há o que temer, que sua rotina não será alterada e que estão sendo oferecidos novos recursos para o desenvolvimento dos conteúdos de sala de aula com uma grande variedade de atividades focadas em um tema que faz parte do cotidiano de todas as pessoas; de sua necessidade de locomoção no espaço, de comunicação com o espaço e, sobretudo de convívio social no espaço público.

Os resultados, após a capacitação, depois do manuseio do material e a efetiva aplicação do projeto, são importantes mudanças neles próprios, em suas atitudes e nas comunidades onde as escolas estão inseridas com melhorias na sinalização e fiscalização, uso de equipamentos de segurança e a redução de acidentes. E o que é bastante significativo em todo este contexto: alunos atuando como cidadãos responsáveis preocupados e empenhados em minimizar os riscos, em prevenir acidentes em suas comunidades. Tudo isso motivado e promovido por professores que até então não se sentiam aptos a trabalhar com o tema trânsito.

Conclusão: com seriedade, subsídios adequados, ferramentas de qualidade e suporte contínuo aos professores é possível alcançar resultados significativos utilizando a educação como veículo da mudança, dando alguns passos no sentido de minimizar o quadro que se apresenta hoje no Brasil, preservando milhões de vidas e famílias.

* Eliane Pietsak é pedagoga, especialista em trânsito, e atualmente é colaboradora da Tecnodata Educacional.