Publicado em 10 de janeiro, 2017 as 14h32.

“Nós do Trânsito” aborda a qualidade das questões que caem nas provas dos Detrans

Por Mariana Czerwonka.

Não é difícil perceber que a maior motivação dos candidatos para estudar para exames teóricos, como Enem, vestibular, concursos, etc., ainda é saber o que irá cair na prova.

Temos hoje muitas maneiras de demonstrar que aquilo que é pedido nas provas determina o que o candidato irá estudar. O maior exemplo é o vestibular, cujo formato é determinante do conteúdo curricular do ensino médio e, portanto, responsável pelas distorções que levam professores a transmitir conteúdos que muitas vezes não se encaixam nos contextos da vida de seus alunos.

Nos exames para habilitação não é diferente. Inicialmente, seria de se esperar que o que está sendo ensinado tenha forte e direta correlação com o dia a dia no trânsito, que será vivido pelo futuro condutor. Na prática, porém, quem ensina com qualidade vê muitas vezes seus esforços frustrados, quando o candidato é obrigado a enfrentar provas cujo conteúdo desmerece o que foi ensinado. Pior do que isso: o candidato quer e precisa passar no exame, o que obriga o estabelecimento e seus instrutores a rever seus ensinamentos, passando a dar ênfase, lamentavelmente, àquilo que cai na prova, colocando por terra todos os esforços bem intencionados.

Como trabalhar essa situação? Veja a opinião do Doutor em História Rodrigo Santos e do Especialista em Trânsito Celso Mariano, sobre o assunto.

Nós do Trânsito

O programa “Nós do trânsito” é um bate-papo descontraído, sobre um assunto muito sério, produzido pelo Portal do Trânsito e pela Tecnodata.  Toda segunda-feira, no Youtube, uma nova edição do programa trará assuntos atuais e temas polêmicos com um tom extrovertido, transformando assuntos, às vezes muito complexos, em uma conversa agradável, de fácil entendimento e altamente educativa.