Publicado em 17 de fevereiro, 2016 as 14h41.

Quem nunca foi aluno, que atire a primeira pedra!

Com o tempo, a autoconfiança, o excesso de segurança no trânsito e a experiência fazem muitos motoristas esquecerem que também já foram alunos.

Por Talita Inaba.

Respeito no trânsito é uma das bandeiras que precisam ser levantadas com urgência e com mais frequência.

Fico impressionada como parece que todos os motoristas já nasceram sabendo dirigir. Sim, eles nunca tiveram que passar por todo o processo de primeira habilitação, com curso teórico, aulas práticas, provas. Como foi só pegar o veículo sair dirigindo, tudo foi muito fácil. Como diz aquele ditado: “tudo que vem fácil, vai fácil”. Ou seja, já que foi só pegar a chave do veículo e sair, é fácil criticar os outros.

Faço essa afirmação, pois para mim, é o que parece. Tenho visto frequentemente a falta de respeito e, principalmente a impaciência dos motoristas com os carros de autoescolas que estão nas ruas e, principalmente com os próprios instrutores e alunos. Mas espera um pouco, quem nunca passou por isso, que atire a primeira pedra!

É impossível você nunca ter passado por alguma dificuldade enquanto estava aprendendo a dirigir. Na sua primeira vez no carro, ou na moto, tenho certeza que não foi fácil.

Com o tempo, a autoconfiança, o excesso de segurança no trânsito e a experiência fazem muitos motoristas esquecerem que também já foram alunos.

Ora, gritar, xingar, buzinar para um aluno que está no carro da autoescola, não vai ajudar em nada. Ao contrário, ele pode ficar ainda mais inseguro, desenvolver ou mesmo aumentar o seu medo de dirigir e ficar desestimulado em continuar.

Respeito no trânsito é uma das bandeiras que precisam ser levantadas com urgência e com mais frequência. Se na própria família, onde conhecemos cada um e mesmo assim temos problemas, imagine estar no meio dos mais de 60,7 milhões de motoristas no país?

Se você já se estressa com pequenas coisas no trânsito, sinto em lhe dizer, mas vai continuar se estressando, e muito! Isso por que motoristas e carros nas ruas sempre vai existir e, inclusive, é um número que não para de crescer. Em 2015, foram emitidas 2.632.590 Permissões para dirigir (PPD´s) em todo o Brasil, de acordo com dados do Ministério das Cidades. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (DENATRAN), a frota de veículos em 2015 era de 90.686.936 em todo o Brasil, incluindo automóvel, motocicleta, ônibus, entre outros.

Para ver o relatório completo, clique aqui

Ao invés de perder a paciência com os demais condutores no trânsito, que tal praticar alguma gentileza?  Assim como a frase de José Datrino, “gentileza, gera gentileza”. Para conviver em sociedade precisamos entender os limites e os deveres de cada um e, principalmente saber que no trânsito precisamos de mais humildade, de mais paciência e de mais cidadania.

O carro de autoescola já é plotado para identificação, justamente para todos saberem que ali está um aluno, aprendendo. Não adianta dizer que ele deve aprender em uma rua deserta para não prejudicar o trânsito. Nas primeiras aulas sim, até para que ele possa se familiarizar com o carro, mas convenhamos, só se aprende na prática, por isso, colocar o aluno em lugares mais movimentados é mostrar a ele como realmente é o dia a dia, fazendo parte do seu aprendizado.

O passado contribui para o aprendizado, para adquirir experiência e principalmente, para compreender que outros também estão passando por aquilo e precisam da sua paciência. Respeite seu passado. Você também já foi aluno!

*Artigo de Talita Inaba que é jornalista e colaboradora do Portal do Trânsito