Sobre a Campanha

realizacao

O cenário do trânsito atual não é nada animador. Segundo dados do Denatran morrem por ano mais de 37 mil brasileiros vítimas de acidentes. Este número, porém, pode ser muito maior, pois são contabilizados apenas aqueles que morrem no local do acidente. Especialistas estimam que esse número chegue a 80 mil brasileiros mortos no trânsito. A dor maior é das famílias que perdem parentes ou que têm que conviver com vítimas que ficam com sequelas graves.

Segundo pesquisa da Seguradora Líder, responsável pela administração do consórcio de seguradoras que operam no Seguro Obrigatório de Veículos Automotores (DPVAT), nos primeiros seis meses deste ano foram pagas 165.111 indenizações, o equivalente a 1.321 ao dia (útil). Em valores, os desembolsos alcançaram R$ 1,1 bilhão. Outro dado do levantamento indica que a grande maioria das pessoas vitimadas no trânsito ficou de alguma forma inválida: 65% do total.

Para mudar esta realidade ou pelo menos amenizá-la, a sociedade deve ser mobilizada, começando pelos órgãos que têm responsabilidade direta sobre o trânsito e estendendo-se para todos os cidadãos. Com base nessa afirmação, o Portal do Trânsito criou a Campanha “Quem Faz o Trânsito Sou Eu".

O objetivo da campanha é mostrar que é possível mudar a realidade trágica do nosso trânsito, basta olhar para si mesmo e transformar pequenas atitudes no dia a dia erradicando comportamentos que levem a situações de risco.

Mostraremos que a redução geral dos números de acidentes e mortos no trânsito pode começar com o indivíduo e assim contaminar a sociedade como um todo. Se você conseguir evitar um acidente, você estará contribuindo e muito com o resultado geral.

Back to Home

Vídeos

Back to Home

Notícias

Notícias reportadas no Portal Do Trânsito (http://www.portaldotransito.com.br)

Back to Home

Depoimentos


Envie também o seu depoimento, mande um e-mail para contato@portaldotransito.com.br


Parabéns pela intenção. Mas será só intenção. O retrospecto nos mostra que o resultado deste tipo de campanha dura pouco. Poderia dizer mais sobre o assunto mas não adianta. O nosso SNT está todo corrompido. Os órgãos responsáveis não cumprem a Política Nacional de Transito, os órgãos pertencentes a este sistema são falidos no que se refere a servir ao povo. Solução que dê resultado? REFORMA GERAL NO SISTEMA NACIONAL DE TRÂNSITO! Vamos fazer uma semana de trânsito só com foruns voltados para a reforma do sistema. Acabar com os DETRANS, JARIS, e etc... Vamos tornar o trânsito responsabilidade Estadual e Municipal e tirar a TIRANIA DO GOVERNO FEDERAL. O POVO ESTÁ CANSADO E MORRENDO POR CULPA DESTES POLÍTCOS! CHEGA! BASTA DE OPRÓBIOS E VERGONHAS! CHEGA DE ENGANAR O POVO E DIZER QUE O TRÂNSITO SOU EU! É VOCÊ! PURA ENGANAÇÃO!!

Eduardo, via Portal do Trânsito.
O nosso dever como imprensa é informar, educar e orientar as pessoas quando se trata de trânsito harmonioso. O principal objetivo é sensibilizar a sociedade para os riscos e perigos do trânsito em vias urbanas e nas cidades respeito as leis, respeito a vida.

Edenilson Gonçalves, jornalista
A questão do trânsito é mais do que uma questão da Secretaria de Transporte ou de Polícia Militar, é uma questão de educação, mudança de comportamento, as pessoas não morrem por desconhecer a sinalização, eles morrem pelo comportamento, principalmente a mistura letal de bebida e direção. E isso não é uma implicância minha, quase 70% dos acidentes com mortes ou lesões graves, tem alcoolemia positiva. Nós acreditamos que é uma mudança de comportamento que vai reduzir estas estatísticas que colocam nosso país entre os cinco no mundo com maior número de mortes no trânsito.

Diza Gonzaga, presidente da Fundação Thiago Gonzaga
Muito boa a iniciativa de conscientização, o usuário do trânsito vai ver que quem faz o trânsito onde vive é ele mesmo.
Sargento Hélio, via Portal do Trânsito
Sou fã do Portal do Trânsito, sempre com ideias novas, QUEM FAZ O TRÂNSITO SOU EU, SOMOS NÓS TODOS DESTE PLANETA, somos todos responsáveis, valeu.
Helinho, via Portal do Trânsito
Belíssima iniciativa temos que multiplicar as ações de cidadania que contribuam com o combate a violência no TRÂNSITO. EDUCAÇÃO O CAMINHO PARA UM TRÂNSITO SEGURO E HUMANO.
Luiz Carlos André, Paraíba
Eu procuro fazer o melhor para ajudar a melhorar o trânsito, fazendo a minha parte, porque quem faz o trânsito somos nós, e cada um de nós tem um papel fundamental para que o relacionamento no trânsito se torne melhor. Procuro passar isso para os meus alunos, porque sou instrutora de legislação e direção, mas conscientizar as pessoas que essa mudança está em nossas mãos, também é muito difícil infelizmente. Porém não perco a esperança e vou continuar tentando, porque penso que o começo pra essa mudança está nas mãos dos nossos futuros condutores, por isso acho muito importante, educar melhor nossos futuros condutores.
Soraia, via Portal do Trânsito
Trabalho em uma empresa de transporte coletivo de passageiros como monitor, através de muitos esforços não só meu, mas de todos os colaboradores nosso percentual de acidentes é praticamente zero inclusive com acidentes de trajeto. Se todos os empresários se preocupassem com os índices de acidentes e quebra de veículos de sua empresa, através da conscientização de seus colaboradores o trânsito fluirá melhor. ME PEGUNTE COMO? RESPOSTA: INVESTIMENTO
Manoel Simões Coelho Filho

Boa noite desculpe a sinceridade, a campanha é muito importante para uma sociedade que não entendeu ainda a grande importância que é se relacionar bem com o trânsito e no trânsito. Infelizmente trânsito seguro não é prioridade para nenhum dos Órgãos envolvidos. Sou Instrutor teórico desde 2002 e a partir desta data concentro minha contribuição com vistas ao que vocês estão propondo “Quem sou eu e o que faço” para um trânsito seguro. Posso observar que o CTB foi elaborado em 1997, o capítulo VI – Educação para o Trânsito, quase que nem é percebido nele, principalmente por Orgãos elaboradores “Ministério da Educação”, pois até hoje mesmo depois de várias resoluções para colocação em prática nas escolas, isso não acontece.

Sei que é uma discussão que um dia ainda terei em algum Seminário ou Congresso, seu que tenho muito ainda a colaborar nesse aspecto, porém entendo que minha contribuição até hoje na formação dos “Meus alunos”, acredito que tem sido de grande valia.

Espero que um dia mude, já encaminhei por várias vezes e-mails ao Denatran com vistas as queixas, sem resposta até a presente data.

Um outro detalhe, deixei para encaminhar este e-mail agora, com entendendo que mais pessoas poderiam ter acesso e participarem da proposta, a sociedade as vezes faz vistas grossas para essa realidade.

Só o futuro para obtermos respostas e muita gente continua morrendo a cada dia.

Obrigado. Vamos lá.

Nivaldo José
Olá estou trabalhando de motorista em um supermercado e sou muito observador. Nós é que temos que fiscalizarmos a falta de atenção e desobediência no trânsito. Multas e medidas administrativas não estão resolvendo nada há muito tempo. Se cada um de nós fizermos a nossa parte todos sairemos vencedores e sempre acreditarei no esforço e na busca de um trânsito seguro para todos nós. Boa sorte a todos e que diminua o índice de acidentes no trânsito afinal de contas viver com paz e harmonia é tão bom não é mesmo???E principalmente no trânsito!!!.
Luis Carlos de Andrade

Um dia após a ocorrência de mais uma tragédia, dentre as muitas que acontecem rotineiramente no trânsito brasileiro, que matou, na Zona Norte do Rio, um bebê de um ano e oito meses, deixando com fratura exposta em uma das pernas a mãe da criança, ambos atropelados numa calçada – a liberdade condicional do motorista culpado já está garantida em lei- surge a notícia ( coluna de Ancelmo Gois, de ‘O GLOBO’, de 15/09) que, por decisão do Supremo Tribunal Federal, o ex-futebolista Edmundo, acusado de triplo homicídio no trânsito, além de lesão corporal, teve extinta a punibilidade por prescrição da pretensão punitiva.. Os crimes prescreveram. Ou seja, agora é cidadão livre e quites com a Justiça.

Em 1995, no bairro da Lagoa, no Rio, o ex -atleta, ao volante de uma caminhonete, momentos após deixar uma boate no local, envolveu-se em um grave acidente de trânsito onde três moças morreram e outras três resultaram feridas. Edmundo foi salvo pelo air bag do seu carro, não sendo submetido, na ocasião, a exame etílico pós acidente. Acaba de ser beneficiado pela benevolência da lei, pelos intermináveis recursos judiciais e pela morosidade da justiça brasileira. O mesmo arcabouço de impunidade que deixou o jornalista Pimenta Neves (matou fria e covardemente a ex-namorada), mais de dez anos fora do cárcere, sendo somente recolhido às grades meses atrás.

Por falar em tragédia e impunidade registre-se aqui a recente, oportuna e elucidativa matéria especial de ‘O GLOBO”, sobre a Lei Seca, com o título ” UM SOPRO DE RESPONSABILIDADE”. Apesar de opiniões conflitantes de estudiosos e juristas, a respeito da legalidade e aplicação da norma, ficou comprovada, sem dúvida, a importância da edição de tal lei na preservação de vidas e na prevenção de tragédias. O triste relato de vítimas do trânsito, atreladas à cadeira de rodas e a constatação da redução de atendimentos de vítimas, em emergências de hospitais públicos, como comprova a matéria, já são o bastante para provar a extrema importância e necessidade da Lei 11705/08, de autoria do deputado federal (RJ) Hugo Leal. É cristalino o fato de que o direito individual de não se submeter ao teste do bafômetro não pode sobrepujar-se ao interesse maior coletivo que visa, neste caso, a incolumidade dos usuários da via pública e a defesa da vida como finalidade precípua. Infelizmente alguns motoristas continuam bebendo e dirigindo. Matando, morrendo ou mutilando. É preciso frear o ímpeto dos homicidas em potencial do volante. Antes que as tragédias ocorram e se tornem notícia.

A pergunta que fica é: quantos homicidas do volante, já condenados, cumprem pena hoje no Brasil e recolhidos ao cárcere? Bem poucos, talvez nenhum. Se você, portanto, tem intenção um dia em matar alguém, é melhor que pegue um carro e o faça. As penas dos crimes de trânsito são mais brandas, a liberdade condicional está garantida, há inúmeros recursos à sua disposição, a Justiça é morosa e ainda há a possibilidade da prescrição, sem falar no habeas corpus. Um atestado legal de benevolência e desrespeito às vítimas da barbárie do trânsito e aos seus familiaraes. Se você ainda socorrer a vítima, também não se imporá a prisão em flagrante. Está expresso no Artigo 301 do Código de Trânsito Brasileiro. É o incentivo a matar no trânsito. Tudo legalizado. É a chamada impunidade misericordiosa brasileira no país do direito penal mínimo. Edmundo agora vai dormir o sono da tranquilidade, os familiares das vítimas o da indignação.

Milton Corrêa da Costa, coronel da reserva da PM do Rio e estudioso em segurança de trânsito
Pedestre deve atravessar na faixa SEMPRE! Motorista de passagem ao pedestre SEMPRE!!
Daniela Gurgel, via TWITTER
Temos agora um Pacto Nacional para reduzir as mortes no trânsito. As ruas e estradas vão se tornar mais pacíficas conforme cada um, cada indivíduo puder mudar o seu comportamento no trânsito, não só como motorista, como pedestre, motociclista é importante que todos pensem que juntos vamos salvar milhões de vidas.
Maria Cristina Alcântara Andrade Hoffmann, coordenadora de educação do Denatran
As mortes por acidentes de trânsito são evitáveis por esforços múltiplos, se tivéssemos no Brasil uma coordenação de ações e esforços multidisciplinares, tenho certeza que reduziríamos bastante o número de acidentes de trânsito no país. Temos que pensar seriamente e rapidamente em coordenar esforços conjuntos para a redução de acidentes.
Valter Tani, doutor em Sistemas de Transporte
Back to Home

Participantes

Portal do Trânsito

Desde maio de 2007 o Portal do Trânsito tem como missão centralizar o máximo de informações e serviços, programas e projetos de órgãos públicos, empresas privadas e do terceiro setor que de alguma forma contribuam para Segurança no Trânsito.


Pela primeira vez desde o lançamento, o Portal apresenta uma campanha nacional com o intuito de colaborar com o chamado da ONU para a Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito.


O objetivo e, muito mais do que isso, o desejo do Portal do Trânsito é ajudar a diminuir os índices de acidentes e mortes no trânsito.

Antes de entender de trânsito e educação, a Tecnodata entende de prevenção.


E por mais óbvio que pareça, o que falta para o ser humano é prevenir. Prevenir acidentes de trânsito e de trabalho, prevenir os danos ao meio ambiente, prevenir males que afetem a nossa própria saúde para vivermos mais e melhor. E como fazer isso se prevenção não se aprende em casa? Não se aprende na escola. Prevenção não é disciplina. A Tecnodata mostra. E ensina. Afinal, há mais de 10 anos cria, desenvolve e comercializa sistemas de educação voltados à prevenção e valorização da vida.

Incode Sistemas

A Incode é uma empresa de desenvolvimento web e client-server que atua em parceria com o Portal do Trânsito ao desenvolver soluções web estratégicas para as necessidades do site.


Essa parceria resulta em soluções de software customizadas e flexíveis, possibilitando resultados qualitativos e ágeis.


A Incode preza pela responsabilidade social do indivíduo e da sociedade, por isso apóia a iniciativa do Portal em conscientizar cidadãos sobre a importância de se realizar pequenas ações para melhorar a realidade do trânsito.

Chega de Acidentes!

O movimento Chega de Acidentes!, apartidário, é uma ação lançada em 18 de setembro de 2009, por entidades com um histórico de lutas em prol da segurança no trânsito brasileiro: a ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), a ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) e o CESVI BRASIL (Centro de Experimentação e Segurança Viária), que formaram um comitê organizador inicial do movimento, ao qual se juntou mais tarde, a AND (Associação Nacional dos Departamentos de Trânsito).


Na data de lançamento, o movimento também iniciou um contador que estima o número de vítimas fatais e não fatais de acidentes de trânsito e o impacto econômico decorrente.

Back to Home